10/2/2010 – Auxílio alimentação foi corrigido para R$ 304,00

Está confirmada mais uma importante vitória: o valor do auxílio alimentação foi corrigido para R$ 304,00

Depois de anos de luta, muita pressão e de espera (desde 2004), finalmente foi confirmado ontem (09/02), pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que a portaria com o novo valor do auxílio-alimentação dos servidores do Executivo será publicada no Diário Oficial de hoje.

Nesta terça-feira, por intermédio de sua assessoria, o Ministro informou à CNTSS/CUT e ao SINDPREV-AL que o governo federal aceitou unificar os valores do auxílio-alimentação pagos no Executivo. Com essa decisão, de acordo com o ministro, acabam as quatro faixas que vigoravam até agora. Da forma anterior, dependendo do estado onde o servidor morava, ele recebia de R$ 126,00 até R$ 161,99 por mês. A partir deste mês de fevereiro, os servidores do Executivo passarão a receber R$ 304,00.

De acordo com Paulo Bernardo, o reajuste já será incluido no contracheque de fevereiro (pago no início de março). Mas apesar dessa correção de 141%, o valor do auxílio-alimentação pago aos servidores do Executivo, ainda continuará sendo o menor entre os três Poderes, pois os funcionários dos poderes Legislativo e Judiciário recebem aproximadamente R$ 600,00.

O SINDPREV-AL reconhece que essa correção de 141% (no caso de Alagoas), foi um avanço percentualmente significativo, e que isso representa mais uma vitória importante de nossas entidades. Mas entende que esse valor ainda não corrige esse auxílio ao patamar do poder aquisitivo de quando ele foi conquistado em 1992, naquela época o seu valor correspondia a um salário-mínimo. Por isso, cabe informar à categoria, que o SINDPREV-AL sempre reivindicou  nas audiências que participou no Ministério do Planejamento e com o Ministro da Previdência, José Pimentel, a correção do valor do auxílio-alimentação para R$ 600,00.

Portanto, companheiros, não temos dúvidas que essa conquista foi um passo importante, mas continuaremos insistindo e lutando para avançarmos ainda mais, inicialmente, pela unificação para um só valor nos três poderes e, em seguida, pela incorporação dessa gratificação ao vencimento básico. A luta pela paridade de vencimentos entre servidores ativos e aposentados e pela isonomia salarial entre os três poderes continua…

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *