14/5/2010 – CARTA ABERTA AOS SERVIDORES DO MTE

Estamos em meio a uma batalha jurídica e política desde o dia 06/04/2010 em prol do nosso Plano de Carreira e Melhores Condições de Trabalho para a prestação de serviços públicos com qualidade aos 76 milhões de usuários em potencial do M.T.E.

Mas, durante anos sucatearam esta Casa do Trabalhador Brasileiro!

A estratégia foi terceirizar nossas atividades e aviltar nossos salários.

Vencemos a batalha contra a terceirização privada, e agora repugnamos a terceirização pública das nossas atividades, porque prejudicam a execução das políticas públicas de trabalho, emprego e renda – direito fundamental da classe trabalhadora.

Denunciamos, também, na Audiência Pública da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara Federal, as péssimas condições de trabalho, salários irrisórios e a alta rotatividade no MTE.

Relatamos a precariedade das nossas condições de trabalho perante o Diretor da OIT no Brasil.

Suspendemos a Greve. O Governo simulou àquelas negociações no MPOG. Fomos enganados. Retomamos o movimento paredista.

Protestamos na frente do MTE por negarem o acesso em nossa Casa.

Realizamos ações em frente ao MPOG denunciando as mentiras proferidas pelo Governo.

Ademais, já somos duas dezenas de estados em Greve que mobiliza 3000 mil servidores no país, segundo ratifica a grande mídia através da Folha de SP de 12/04/2010, pág. A-4 e o telejornal Bom Dia Brasil de hoje.

A Greve dos Administrativos do MTE está na grande mídia.

Obtivemos Liminar no STJ. A Liminar tornou-se sem Efeito. Recorremos. Vencemos: 10×0 na Corte. Marco histórico: tal qual “nunca se viu neste país.”

Vejam!

Tudo isto é possível porque há a participação de milhares de Servidores Administrativos do MTE engajados num objetivo importante – o Plano de Carreira!

Por causa disto, todo apoio é importante. Tal apoio, pode ser, por exemplo: através da utilização de camisetas de protestos, assembléias, contatos com parlamentares, governadores, prefeitos, sindicatos e moções de apoios destes, mobilizações, caravanas, etc.

Por outro lado, o Governo tem se utilizado da estratégia de conceder cargos de confiança e funções comissionadas técnicas para que os colegas não paralisem suas atividades. Reduz temporariamente as jornadas de trabalho de alguns colegas que não aderiram ao movimento, dentre outras situações de pressões. Todavia, todas são paliativas.

Não se deixem iludir. Amanhã entrarão novos gestores que repassarão as mesmas funções para outros apadrinhados.

Portanto, se a sua unidade ou setor ainda não se mobilizou, não espere, faça acontecer!
Queremos o Plano de Carreira que perdure para a vida inteira!
Lute conosco!!!
Comando Nacional de Greve

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *