14/5/2010 – Carta de servidor ao presidente Lula

Senhor Presidente,

Eu como novo servidor aprovado no ultimo concurso do MTE, me deparei com uma realidade que eu jamais imaginei que havia no serviço público. Há muito tempo se tem a idéia de que servidor público não trabalha, que não respeita o trabalhador, que só vive fazendo greve. Hoje enxergo isso com outros olhos. As condições de trabalho no órgao a qual trabalho é desumano, a quantidade de pessoas que chegam para receber atendimento para fazer sua carteira de trabalho ou dar sua entrada no seguro desemprego ficam horas interminaveis na fila porque ja não tem mais servidores para atende-los, e sem contar a quantidade de pessoas que não recebem atendimento. A atribuições do órgão regido por leis são inumeras de dignas de serem postas em prática. Mãs não possuem pessoal nem pras atividades mais básicas como gestão de próprio pessoal.

Porque eu não trabalho ?
Resp. Porque as condições de trabalho são insuficientes e precárias e não me permitem exercer todas as minhas possibilidades como profissionais, fico amarrado a processos burocráticos lentos e ultrapassados. Eu quero fazer mais do que isso pelo serviço público, eu quero atender a população que chega até o meu guiche n 4 na agencia de vitória/ES e prestar o serviço de qualidade e com celeridade. Pois sou competente e quero trabalhar, principalmente para melhorar as condições de vida da população e eu ser respeitado como um contribuinte para o progresso deste país. Por isso eu não posso dizer que trabalho e sim que eu tento trabalhar mas não consigo.

Porque eu não respeito a população ?
Resp. Porque eu permito que enormes filas sejam criadas na porta de onde trabalho, e permito que isso ocorra todos os dias. Ontem nossa agencia atendia atendia x números de senhas mas hoje eu atenderei apenas x – 50 pois o servidor do guiche do lado pediu exoneração ontem a tarde, pois ele passou em outro concurso onde se tem melhores condições de trabalho e se valoriza mais o trabalhador com remuneração digna, e veja-se que as atribuições do cargo são muito verossímias. Se a cada dia um servidor vai embora e não há outro para substituílo, eu me faço várias perguntas:

1- Vou ter que atender a mesma quantidade de pessoas com um colega de trabalhador a menos ?

2 – Se reduzirem a quantidade de atendimentos pela falta do colega, 50 pessoas deixarão de ser atendidas ?

3 – Porque meu colega de trabalho saiu de um órgão federal para trabalhar no órgao Estadual, e achando que fez a melhor coisa da vida?

Eu me pergunto o que está errado nisso, e eu imagino que talvez quem trabalhe em uma agência do MTE em qualquer longincuo município deste país sabera muito bem me dizer a resposta.

3 – Porque eu estou na greve ?
O senhor, Luis Inácio Lula da Silva, sabe muito bem o porque eu estou em greve. Eu não estou satisfeito com a minha vida profissional, pois não sou valorizado, não tenho ferramentas de trabalho decentes para desempenhar o meu papel no serviço público, porque não me sinto estimulado a trabalhar em condições precárias, porque eu já não tenho mais cara de dizer a um trabalhador que acabou de perder o emprego que ele vai ter que esperar 6 meses pra ele receber a primeira parcela, porque eu ouço todo dia as reclamações dos trabalhadores que ficaram 4 horas esperando por atendimento pois eu agora tenho que atender além das pessoas que eu costumo atender, tenho que atender mais as do meu colega que foi embora.

Eu sempre achei que ser servidor público era privilégio de poucos, que com esforço ao passar pelo mérito de passar em um concurso público eu me realizaria profissionalmente e teria condições financeiras para viver com dignidade. Mais um engano eu tive ao tomar posse no dia 19 de maio de 2009. Mas eu tenho um amigo que trabalha em um órgao que desempenha as mesmas funções que eu, e ele esta realizado. Porque o governo trata ele bem e não me trata da mesma forma ? eu não entendo bem isso, mas sei que isso não é justo.

Só acho que as pessoas que estão lutando por melhores condições de trabalho que estão em greve, são as mesmas pessoas que carregaram este órgão durante a vida toda, importante dizer que tenho 25 anos de idade que é a mesma idade que tem os servidores antigos desde o ultimo concurso realizado pra empossarem neste órgao. A uníca diferença entre eles e eu é que eles ficaram todos esses anos esperando uma pessoa que pudesse mudar as condições de trabalho impróprias durante todo esse tempo. E eu acreditei nisso faz pouco tempo. Ou seja, a diferença aqui é só o tempo, pois a indignação é a mesma.

Por essa falta de respeito com o povo brasileiro, com o descaso que nós somos tratados perante seus representantes neste “CICLO DE NEGOCIAÇÕES”, falta de consideração por um movimento que só busca melhorias. Por isso eu tenho, infelizmente, a vergonha de ser um servidor do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO.
Fonte: ASDERT

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *