Arquivo do Autor: Antonio Pereira

SINDPREV-AL mobiliza servidores da USF Reginaldo para evitar remanejamento das equipes do PSF

Em luta para garantir os direitos dos seus associados, diretores do SINDPREV-AL participam na manhã desta terça-feira (18) de uma reunião no Conselho Gestor da USF/Reginaldo. Em pauta estão formas de evitar o remanejamento das equipes do Programa de Saúde da Família (PSF). Dentre as propostas apresentadas está a elaboração de um abaixo-assinado com assinaturas nas comunidades pedindo a permanência dos profissionais. Este abaixo-assinado deve ser encaminhando à Secretaria de Saúde.

Outras propostas estão em estudo para evitar o remanejamento e também solicitando melhores condições de trabalho para os servidores.

Terceirização irrestrita deve atingir serviço público, alertam especialistas

Setores como educação, saúde e cultura vão poder contratar trabalhadores terceirizados sem concurso público
Escrito por: Sinssp / RBA

 

Após a aprovação do Supremo Tribunal Federal (STF), na última semana, da terceirização irrestrita de trabalhadores para atividades-fim nas empresas, como propôs o governo Temer, especialistas afirmam que a medida deverá levar a contratações sem concurso público, especialmente de profissionais de educação, saúde e cultura. É o que alerta, por exemplo, o presidente do Sindsep – Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo, Sérgio Antiqueira.

 

“Os professores estão na ponta da lista da ameaça, porque já tem o interesse de empresas entrar nos municípios, trazendo apostilas, então há o interesse em substituir os professores”, diz o sindicalista.

 

Segundo o Dieese, os terceirizados ganham em média 25% menos, se acidentam 60% mais e trabalham 12 horas a mais por mês. A rotatividade da mão de obra também é o dobro da registrada em relação ao contratado direto. Por todos esses fatores, a terceirização não significa melhora para os trabalhadores e nem para o serviço público.

 

“Num cenário de redução dos gastos públicos, por conta dos limites orçamentários da Emenda Constitucional (EC) 95, a gente avalia que os estados vão usar esse instrumento de poder ampliar a terceirização do serviço público para reduzir os seus custos. Como as condições dadas aos trabalhadores pioram, influencia no atendimento também”, explica Adriana Marcolino, socióloga e técnica do Dieese.

 

Especialistas alertam ainda que a terceirização pode acabar com os concursos públicos e a substituição pelos terceirizados vai inviabilizar a aposentadoria dos atuais servidores. “A Previdência do servidor o governo trata como um problema do servidor, não de gestão da prefeitura (e demais instâncias do poder público). Você reduz a contribuição, já que não tem mais o trabalhador direto, que contribui para a Previdência”, diz Sérgio.

 

A terceirização também pode trazer problemas para a previdência dos trabalhadores do setor privado. Os salários menores vão fazer a arrecadação cair. Além disso, os trabalhadores que precisarem abrir empresas – tornando-se pessoas jurídicas (PJs) para terem seus serviços contratados – podem nem contribuir com a Previdência.

 

Como não há mais recursos judiciais para impedir a terceirização total, os trabalhadores afirmam que a única forma de reverter esse retrocesso é a revogação da lei, na próxima Legislatura a ser eleita em outubro. “Nós temos que discutir quem são os candidatos que propõem a reversão da reforma trabalhista e a lei de terceirização”, completa o representante dos servidores.

 

 

 

Redação RBA

Relatório da reunião do Ministério do Planejamento – 13/09/2018 com o Fonasefe – Fórum das entidades nacionais dos servidores públicos federais

foto 13 destaque

 

RELATÓRIO DA REUNIÃO DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO – 13/09/2018 COM O FONASEFE – Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais. 

 Presentes pela Bancada do Governo: PAULO DE TARSO CANCELA CAMPOLINA DE OLIVEIRA – Diretor do DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO (DERET/SGP) – JOSÉ BORGES DE CARVALHO FILHO, COORDENAÇÃO GERAL DE NEGOCIAÇÃO SINDICAL NO SERVIÇO PÚBLICO (CGNSP/DERET/SGP)

 

Presentes pela Bancada dos Trabalhadores: Rogério A. Expedito (Condsef/Fenadsef), Antonio (Andes-SN), Cleide Viana(Assibge-SN), Breno Rocha (Sindireceita), Laurizete A. Gusmão (Fenasps), Luiz Cláudio (Condsef/Sinfa), Gibran Jordão(CSP/Conlutas), Erlon Sampaio (Fenajufe) e Vania (Fasubra).

 

A reunião deu início com a apresentação dos itens da nossa pauta de reivindicações e cobrança do governo posicionamento sobre os 4 eixos

 

1 – Correção salarial com aplicação do índice de 25,63% (DIEESE);

2 – Extensão dos índices da Lei 13.464/2017 para todos os servidores públicos federais;

3 – Cumprimento de todos os acordos assinados em 2015;

4 – Aplicação do valor de, no mínimo, 50% per capita da União para a manutenção dos planos de saúde dos servidores.

 

CLIQUE AQUI e confira na íntegra o Relatório.

 

 

Veja as fotos dos outros atos.

ato contaminados sucan 2

ato contaminados sucan 3

ato contaminados Sucan

ato no Ministerio planejamento

Ato STF

Hospital Ib Gatto: Sindicato protocola novas denúncias contra o Estado no Ministério Público

Em Assembleia realizada nesta terça-feira com trabalhadores do Hospital Ib Gatto, de Rio Largo, diretores do SINDPREV-AL receberam uma série de novas denúncias quanto aos procedimentos adotados pela empresa Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), contratada pelo Estado para gerir administrativamente o Hospital.
A partir das denúncias apresentadas, o SINDPREV-AL procurou a representação em Rio Largo do Ministério Público Estadual para protocolar nova representação contra o Estado das irregularidades constatadas desde a chegada do ISAC e a forma de como vem sendo conduzida a situação dos servidores efetivos.
Estiveram presentes à Assembleia os diretores Célio dos Santos (presidente), Olga Chagas (Diretora de Comunicação) e Luciano Farias (Adjunto da Comunicação).

Denúncias

Na mesma Assembleia foi apresentada denúncia de que alguns servidores novatos contratados pela empresa ISAC estariam atuando no pronto atendimento e realizando conduta sem sequer saber aplicar uma medicação de forma segura, pondo em risco a vida dos usuários.
Diante deste fato grave, o SINDPREV-AL conversou com do ISAC, através da Senhora. Kamyla Bastos, alertando sobre a responsabilidade do que possa vir a acontecer aos pacientes caso insistam em colocar pessoas sem um treinamento seguro e habilitadas para as respectivas funções. Aos dirigentes do Sindicato, a Kamyla disse que tinha conhecimento do fato, mas que já afastou a funcionária envolvida no episódio e que estariam dando um treinamento aos demais servidores. Estranhamente, Kamyla informou que os funcionários recém-contratados ficarão apenas um mês, pois haverá um processo seletivo para substituição dos 48 servidores que deixarão o hospital Ib Gatto.

Dificuldades de trabalho

Durante a Assembleia, os servidores relataram dificuldades em trabalhar com escalas desfalcadas devido as mudanças impostas pela OSs. Segundo eles, algumas ausências acontecem pela carga horária que foi alterada e que coincide com a escala de outros locais onde os trabalhadores exercem suas funções.

Remoções e transferências

Como já havia sido anteriormente combinado, a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU) se comprometeu em informar ainda nessa semana o parecer da Procuradria Geral do Estado (PGE) sobre a legalidade de poder haver ou não as remoções dos servidores. Porém, até o momento não foi dado nenhuma resposta, deixando os trabalhadores cada vez mais apreensivos quanto a situação indefinida.
Em contato com a SESAU na pessoa do Sr. Robson José, o SINDPREV-AL foi informado que provavelmente estarão agilizando as remoções até o próximo mês de outubro/2018.

« Entradas mais antigos Entradas recentes »