Arquivo do Autor: Antonio Pereira

Eleições Geap: eleitores devem fazer cadastramento prévio

19/02/2014

 

As eleições para escolha dos representantes dos beneficiários que integrarão os Conselhos de Administração (Conad) e Fiscal (Confis) da GEAP – Autogestão em Saúde serão realizadas de 17 a 19 de março. Poderão votar os beneficiários titulares dos planos de saúde da Fundação, ativos e aposentados, desde que adimplentes e inscritos até 31 de dezembro de 2013.

 

Para se habilitar, o eleitor deve se cadastrar no sitehttp://www.eleicoesgeapsaude2014.com.br apresentando a senha provisória recebida por correspondência pelo correio. Durante todo o período de habilitação eleitoral e nos dias destinados à votação, as gerências regionais dos 26 estados e do Distrito Federal disponibilizarão equipamentos com acesso à internet para maior conveniência dos usuários.

 

Pela primeira vez, as votações para os dois conselhos serão realizadas pela internet, em substituição às urnas físicas. De acordo com a comissão eleitoral, a novidade permitirá maior participação do eleitorado, já que será possível votar a partir de qualquer dispositivo com acesso à internet e de qualquer localidade. Para garantir total segurança e legitimidade do processo, a plataforma de votação eletrônica foi desenvolvida pela empresa Oak Soluções, com código-fonte exclusivo, seguro e totalmente aberto para auditoria independente. Além disso, todo o processo eleitoral de escolha dos novos conselhos da GEAP será auditado pela Baker Tilly Brasil.

 

Posteriomente divulgaremos a chapa da FENASPS que deverá concorrer às eleições, pois o controle social da Fundação deverá continuar a ser exercido pelos assistidos do Seguro e Seguridade Social e disso a catergoria não abre mão.

A GEAP é nossa. Vamos lutar por ela.

 

Reprodução SintsprevMG/GEAP.

ANS libera comercialização de planos de saúde da GEAP

19/02/2014

 

No oitavo ciclo de avaliação trimestral dos planos de saúde, realizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e anunciado na terça-feira (18), foram liberados para comercialização dois planos da GEAP, que haviam sido suspensos no ciclo anterior.

 

São aos planos “Geap Família”, com cerca de 110 mil beneficiários e o “Geap Saúde II”, com mais de 324 mil assistidos

 

A medida administrativa agora anunciada pela ANS regulariza completamente a comercialização de todos os produtos da GEAP – Autogestão em Saúde.

 

Neste ciclo, 47 operadoras foram proibidas de vender 111 planos, a partir de sexta-feira (21), por descumprimento de prazos e de negativas indevidas de cobertura contratada por consumidores.

 

Segundo a ANS, 83 planos foram suspensos a partir do atual ciclo de monitoramento. Outros 28 permaneceram com a comercialização proibida desde o ciclo anterior, por não terem alcançado melhora necessária. Entre as operadoras, 31 permaneceram na lista de suspensões.

 

A atual suspensão atinge 1,8 milhão de consumidores que já contrataram esses planos e “agora deverão ter seus problemas assistenciais solucionados”, afirmou a agência.

 

De outro lado, 77 planos de 10 operadoras conseguiram melhorar a qualidade dos serviços e foram reativados. Outras 22 operadoras tiveram reativação parcial de seus planos.

 

De 19 de agosto e 18 de dezembro de 2013, período de coleta de dados deste ciclo, a ANS afirmou ter recebido 17.599 reclamações sobre 523 planos de saúde – alta de 16 por cento ante o período anterior e o maior número desde o início do programa, em dezembro de 2011.

 

No atual ciclo, 16 operadoras entraram na lista de suspensões, outras 31 foram mantidas suspensas. A lista de suspensões inclui oito planos da Allianz Saúde, um da Tempo Saúde, oito da Unimed Paulistana e cinco da Amico.

 

GEAP FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL

Registro ANS: 323080

 

Planos Reativados

 

Registro                     Produto                                 Quantidade de beneficiários

434233000               PLANO GEAP FAMÍLIA     110.072

458004084               GEAP Saúde II                    324.321

Total de beneficiários: 434.393

 

 

Veja a íntegra da nota da ANS.

 

A ANS faz o acompanhamento da garantia de atendimento para consultas, exames e cirurgias. Este monitoramento junto às operadoras de planos de saúde é permanente e contínuo e a divulgação dos dados apurados é feita pela ANS a cada três meses.

 

O Monitoramento da Garantia de Atendimento vem apresentando resultados efetivos e tem provocado grandes mudanças no mercado de saúde suplementar.

 

Neste 8º ciclo do Programa, 10 operadoras conseguiram reativar todos os seus 77 produtos anteriormente suspensos pelo monitoramento da garantia de atendimento. Saíram também da medida cautelar 45 planos de 22 operadoras que obtiveram reativação parcial de produtos.

 

Com isso, se intui melhoria direta do acesso e da qualidade dos serviços de saúde suplementar para cerca de 3,5 milhões de beneficiários destes 122 produtos.

 

O total de 111 planos de 47 operadoras tiveram sua comercialização suspensa neste 8º período. Desses, 28 produtos já estavam impedidos de comercialização pelo Programa, o que significa que beneficiários de 22 operadoras permaneceram com risco aumentado de garantia de acesso ao atendimento desde períodos anteriores.

 

A medida busca proteger indiretamente todos os usuários reais e potenciais da saúde suplementar e, diretamente, 1,8 milhões de consumidores, beneficiários dos planos de saúde suspensos no 8° período e expostos ao maior risco de garantia de acesso ao atendimento.

 

A suspensão da comercialização ocorre pelo descumprimento reiterado dos prazos máximos para realização de consultas, exames e cirurgia e por negativa de cobertura assistencial aos beneficiários de planos de assistência médica e odontológica.

 

Essa ação preventiva é uma resposta rápida da ANS às reclamações da sociedade. A suspensão da comercialização impede que novos consumidores ingressem nos planos com grande número de queixas relativas à cobertura assistencial, a fim de que as operadoras possam adequar os serviços contratados, melhorando o acesso e a qualidade, e assim reativar seus produtos.

 

Além disso, esta medida induz a operadora a concentrar esforços para acertar sua rede assistencial, seus mecanismos de atendimento e relacionamento com seus consumidores de forma a prestar um serviço adequado e oportuno.

 

Reprodução SintspreMG.

Direito de greve do servidor é pauta de debate no Senado nesta quinta, 20

20/02/2014

 

Um debate sobre direito de greve do servidor público federal está agendado para esta quinta-feira, 20 de fevereiro, na Comissão Mista do Senado destinada a Consolidar a Legislação Federal e a regulamentar dispositivos da Constituição.

 

A discussão sobre a regulamentação do direito de greve vem sendo adiada desde o ano passado. Uma minuta apresentada pelo senador e autor do projeto, Romero Jucá (PMDB/RR), sobre o assunto está sendo estudada pelas centrais sindicais e o governo espera que o projeto seja aprovado ainda este ano.

 

O debate ocorrerá no Plenário 2, da Ala Nilo Coelho, no Senado Federal, a partir das 13 horas desta quinta-feira, 20.

 

A Fenasps, assim como outras entidades representantes dos servidores públicos federais, é contra este projeto, mais uma medida do governo para retirar direitos dos trabalhadores.

 

Entenda o PL no material produzido pelo Fórum de Entidades dos servidores públicos federais.

 

Reprodução FENASPS.

Servidores da Saúde cobram posicionamento do governo sobre reivindicações

Sesau afirma que nova reunião com os trabalhadores está marcada para o dia 18

Os servidores da Saúde estadual voltaram a se mobilizar, na manhã desta terça-feira (11), em frente ao Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió. Eles reclamam da falta de atendimento às reivindicações da categoria e cobram um posicionamento da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev/AL), Célio Santos, os servidores da saúde cobram, entre outras coisas, a reposição de 25% de perda salarial e o cumprimento do acordo feito com o governo em 2010 – que vai conferir à categoria um reajuste equivalente à inflação, mais ganho real -, além da aplicação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

O representante da categoria também denuncia que as unidades de saúde se transformaram em cabides de emprego, com as pessoas sendo contratadas sem cumprir os requisitos da administração pública. Eles reclamam também das más condições de trabalho. “Queremos uma resposta do governo do Estado para as nossas reivindicações”, reforçou Célio Santos.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), a pauta entregue pelos trabalhadores já está sendo avaliada, inclusive, junto a outras secretarias. Uma reunião para discutir as reivindicações foi marcada com os servidores para o próximo dia 18 de fevereiro.

« Entradas mais antigos Entradas recentes »