Arquivo da categoria: Estadual

SINDPREV-AL alerta trabalhadores (as) do Hospital Geral de Rio Largo sobre os perigos da terceirização

Diretores (as) do SINDPREV-AL estiveram visitando o Hospital Geral Professor Ib Gatto Falcão, em Rio Largo para esclarecer dúvidas e alertar sobre os impactos da terceirização no serviço público. O SINDPREV-AL é contra as terceirizações e defende a realização urgente de concurso público como única forma de entrada no serviço público.

Participaram da atividades as diretoras Valda Lima e Cida Flores.

 

Trabalhadores da Maternidade Santa Mônica cobram regularização do incentivo Rede Cegonha e Insalubridade

Em reunião realizada nesta quinta-feira (12) com uma comissão de servidores da Maternidade Escola Santa Mônica (MEMS), ficou definido que o Sindprev encaminhará ofício a reitoria da UNCISAL no sentido de solicitar a folha de pagamento da Rede Cegonha, com lista funcional dos trabalhadores que recebem o incentivo, valores e percentual de distribuição. Ficou acertado um prazo de 10 dias a contar da data de envio do ofício. A reunião foi coordenada pela diretora do Sindprev, Olga Chagas.

Caso a reitoria da UNCISAL não encaminhei as informações solicitadas no prazo estipulado (10 dias), será convocada uma Assembleia Geral da categoria, onde serão encaminhadas outras formas de pressão, como: ato público em frente à Maternidade Santa Mônica; Representação junto ao Ministério Público Federal e demais órgãos de fiscalização dos direitos dos trabalhadores.

A principal reclamação dos trabalhadores da Maternidade Escola Santa Mônica é de que o incentivo Rede Cegonha não está sendo pago a todos os servidores, principalmente os que são “novatos” e também aos que permutaram. Além disso, os trabalhadores também reclamam que foi suspenso o pagamento do Adicional de Insalubridade dos servidores que fizeram permutas. Segundo os trabalhadores, apesar de várias tentativas de negociação com a UNCISAL, nada foi feito até agora.

Visitas de diretores do SINDPREV-AL à Maternidade Santa Mônica impulsionam mobilização

Em duas visitas à Maternidade Santa Mônica, diretores do SINDPREV-AL constataram a necessidade de uma ampla mobilização dos trabalhadores no sentido de unificar as pautas e garantir vitórias.

Na primeira reunião, realizada no dia 2 de abril (Segunda-feira), os diretores Olga Chagas e Cícero Lourenço estiveram na Maternidade para esclarecer e informar sobre o processo da insalubridade e as ações realizadas pelo Departamento Jurídico do Sindicato em prol dos trabalhadores da Saúde.

Na segunda visita nesta quinta-feira (5), os diretores Ivanildo Marques e Olga Chagas foram chamados pelos próprios trabalhadores para tratar inicialmente da questão da não implantação do pagamento da rede cegonha para vários servidores, especificamente aqueles que entraram no último concurso de 2014. Os trabalhadores reclamam que, apesar de terem dado entrada com processos administrativos desde a gestão passada, foram informados que não haveria recursos para o pagamento da gratificação. A denúncia é de que a verba federal específica para esta gratificação estaria sendo utilizada para outros fins.

Diante da grande demanda de assuntos e reivindicações dos trabalhadores, ao final da visita ficou acertado os seguintes Encaminhamentos:

  • Organizar uma comissão para dialogar com a gestão;
  • Relacionar todos os processos que foram abertos;
  • Realizar uma Assembleia para tirar uma pauta unificada e ampliada de todas as unidades da UNCISAL;
  • Agendar uma reunião com a reitoria da Uncisal

Filiações

Tem crescido exponencialmente o número de novas filiações de trabalhadores da Saúde Estadual ao SINDPREV-AL. No caso da Santa Mônica, nas duas visitas, vários servidores solicitaram fichas de filiação e agora fazem parte do quadro associativo do Sindicato, tendo como principais benefícios a certeza de uma entidade sindical voltada à defesa dos direitos dos trabalhadores.

 

Diretores do SINDPREV-AL são recebidos pela nova direção do HGE

Nesta terça-feira (3), os diretores do SINDPREV-AL, Célio dos Santos, Lourivalda Lima e Olga Chagas foram recebidos pela nova direção do Hospital Geral do Estado (HGE), a Gerente-geral, Marta Celeste de Oliveira Mesquita, Maria da Conceição (Recursos Humanos) e Ana Cláudia (Assessora técnica). Uma comissão de auxiliares e técnicos de enfermagem do HGE acompanhou a reunião. São elas: Ana Patrícia, Roseane Pereira, Elaine Quitéria, Sandra Maria, Tatiana, Marluce e Givalda.

Na oportunidade os sindicalistas apresentaram uma série de reivindicações administrativas, como: Condições de trabalho; Sobrecarga de trabalho devido a redução do número de profissionais na área de enfermagem; Desligamento dos plantões extras; Estruturação do local para o descanso dos plantonistas noturno e ponto de entrada e saída dos servidores.
Com relação ao ponto eletrônico, Marta Maria da Conceição disse que a tolerância é de 15 minutos e que após este tempo é contabilizado determinada quantidade de horas que pode ser aplicada a falta. Já no caso da saída ser após os 15 minutos de tolerância, esse tempo deve ser justificado por escrito à coordenação.

Sobre o desligamento de alguns servidores da escala extra, a diretora ficou de rever os procedimentos e também resolver a questão do descanso dos auxiliares e técnicos de enfermagem da Ala ‘G’, já que estes profissionais foram transferidos para outro local sem as mínimas condições de trabalho.

A diretora falou também sobre a reestruturação da Ala Amarela para a Ala Vermelha, pois há a intenção da direção em acabar com o internamento de pacientes nos corredores da Ala Azul. Enquanto isso não se concretiza, o SINDPREV-AL solicitou atenção a sobrecarga, que vem atingindo muitos profissionais, levando-os ao adoecimento.

No dia 7 de maio/2018 está agendada uma nova reunião.

Sesau e UE do Agreste firmam acordo no MP com compromisso de não realizar novas demissões

Em mais uma audiência pública realizada no dia 22 de março, com o Ministério Público, as direções da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e Hospital de Emergência de Arapiraca (UE do Agreste) se comprometeram em não mais realizar demissões de trabalhadores da UE.
O acordo acontece após pressão do SINDPREV-AL, Sindicatos e outras entidades da sociedade civil organizada, que questionam as demissões de 44 trabalhadores da UE do Agreste de forma irregular e até desumana.
Na audiência o SINDPREV-AL reafirmou a defesa de concurso público como única forma de ingresso serviço público.

Leia relatório da audiência:

Audiência pública realizada pelo Ministério Público do Estado de Alagoas, no dia 22 de março do corrente ano, na cidade de Arapiraca, para retomar o debate sobre a demissão imprevista de 44 servidores do Hospital de Emergência Dr. Daniel Houly-HEDH. Fizeram-se presentes o SINDPREV-AL, na pessoa de Ivanildo Marques, Secretário de Assuntos Jurídicos, Dr. Napoleão Amaral Franco, Promotor de Justiça, a Senhora Regiluce Santos, Gerente da HEDH, Robson José da Silva, Gerente de RH SESAU, Rodrigo Brandão Palácio, Procurador do Estado de Alagoas, Conselhos de Classes, Sindicatos e uma Comissão de servidores exonerados. Na oportunidade, o Ministério Público fez uma síntese da questão em tela, se posicionando de forma contrária a forma como os servidores foram desligados e cobrou o posicionamento da SESAU sobre o ocorrido.

A senhora Regiluce, informou que por meio de um estudo de dimensionamento de pessoal chegou à conclusão de que os 44 servidores que foram exonerados, não retornariam aos seus postos de trabalho e os funcionários recém contratados seriam exonerados posteriormente. Ainda, afirmou que para suprir a carência que esses servidores representariam seria feito a redistribuição de carga horária com os servidores existentes e, que tal atitude não implicaria em prejuízo aos serviços prestados pelo HEDH, uma vez que as demissões realizadas representam um percentual de 3% do total de servidores.

O Secretário Jurídico do SINDPREV-AL, Ivanildo Marques reafirmou o posicionamento político do Sindicato na defesa do concurso público e questionou a base legal do estudo de redimensionamento, uma vez que vários profissionais que labutam naquela unidade são regidos por leis que regulamentam suas profissões. Sobre o redimensionamento, Ivanildo solicitou a apresentação das documentações que a Direção ficou de apresentar, como fichas funcionais e análise de avaliação dos servidores demitidos e contratados. Também, cogitou junto a Robson José e a Diretora se não haveria a possibilidade de manter os servidores exonerados até a realização do Processo Seletivo.

Robson José reafirmou a impossibilidade de retorno dos servidores exonerados, entretanto alegou que no mês de Abril a SESAU realizará um Processo Seletivo onde todos podem participar em ampla concorrência e que provavelmente em 2019, haverá concurso público na SESAU.

Por fim, foi firmado um acordo onde a SESAU e Direção do HEDH se abstêm de promover novas demissões e contrações sem que pelo menos haja um processo seletivo, garantindo a publicidade, transparência e impessoalidade. Desse modo, impossibilitando as indicações políticas.

Mais uma vez, o SINDPREV atua em defesa dos trabalhadores para garantir a manutenção dos seus direitos.

« Entradas mais antigos Entradas recentes »