AGU reclama R$ 80 mil por eleições suplementares

A ação foi ajuizada no final do ano passado após informação do TSE

Erik Maia,
 08 /05/2013

Foto: Divulgação

A Advocacia Geral da União (AGU), em Alagoas, quer, por meio de uma ação de ressarcimento na Justiça Federal, que prefeitos que tiveram suas eleições, em 2008, anuladas devolvam mais de R$ 80 mil aos cofres públicos.

Segundo o procurador chefe da AGU no Estado, Miguel Angelo Feitosa Neto, a ação foi ajuizada no final do ano passado quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou sobre o custo da realização de eleições suplementares em Estrela de Alagoas, Porto de Pedras, Porto Real do Colégio e São José da Laje.

“São R$ 14.774 de Porto de Pedras, R$ 21.135 de Estrela [de Alagoas], R$ 24.558 de São José da Laje e R$ 22.670 de Porto Real do Colégio”, calculou o procurador geral.

Miguel Angelo Feitosa Neto disse que a ação quer apenas o ressarcimento do dinheiro investido na realização de eleições suplementares. “Esse dinheiro foi usado pelo TSE na realização de novas eleições nesses municípios”.

As eleições suplementares nos quatro municípios só ocorreram – em 2009 -, após a conclusão dos processos que pediam a anulação das eleições comuns, onde os gestores eleitos, Neno da Laje (PMDB/Sâo José da Laje), Ângela Garrote (PP/Estrela de Alagoas), Zé Reis (PSDB/Porto Real do Colégio), e Rogério Farias (PSD/Porto de Pedras), foram afastados de seus cargos.

 

Matéria retirada do Site Tribuna Hoje.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *