ALE aprova aumento de salário de governador, secretários e servidores públicos

Decisão de reajustar subsídios em 5,83% foi unânime; percentual ainda não satisfaz categorias

 

Regina Carvalho e Jobison Barros

21/05/2013

 

Deputados aprovam aumento de salário para governador, vice, secretários e funcionalismo público (Foto: Regina Carvalho)

 

Os deputados aprovaram, por unanimidade, o reajuste nos salários do governador Teotonio Vilela Filho (PSDB), do vice-governador, José Thomaz Nonô, secretários, funcionários de autarquias e fundações e servidores públicos. O aumento de 5,83% nos subsídios ainda é questionado pelo funcionalismo público, como o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol/AL).

O projeto de lei foi votado em caráter de urgência, tendo em vista as últimas mobilizações protagonizadas pelos sindicatos ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT), nas ruas da capital alagoana.

Na ocasião, o deputado Olavo Calheiros (PMDB) solicitou que o líder do governo na Casa Legislativa, Edval Gaia (PMDB), se pronunciasse confirmando se Teotonio Vilela pedira o próprio reajuste. Em resposta ao pedido do colega, o parlamentar disse que o chefe do Executivo tinha conhecimento do reajuste. “Ele [Vilela] chegou a pedir, sim, mas para beneficiar os servidores públicos, que vêm lutando por melhores salários”.

O projeto de lei segue, agora, para sanção do governador Teotonio Vilela.

Ânimos exaltados

O final da sessão foi marcado por divergências entre os deputados Judson Cabral (PT) e Isnaldo Bulhões (PDT). Antes de falar sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Judson utilizou a tribuna da Casa de Tavares Bastos para criticar o esvaziamento da sessão, considerando a permanência de oito parlamentares, quando, no início da sessão, 21 confirmaram presença.

Por sua vez, o deputado Isnaldo Bulhões se sentiu ofendido com as palavras do colega e afirmou que sempre foi assíduo nas sessões da Casa. “Eu não retiro uma vírgula do que afirmei anteriormente, porque minha opinião é pública”, retrucou Judson.

Questionamentos

O deputado petista Judson Cabral denunciou que projetos apresentados pelo Governo do Estado são fantasiosos, a exemplo da “modernização de quatro Institutos de Criminalística”; só que Alagoas conta com apenas um, situado no centro de Maceió. “Cada vela que é acesa é um crime não apurado. Como vamos modernizar o que não existe?”, indagou.

Os parlamentares questionam que o plano de segurança apresentado pelo governo para 2014 não contempla aparelhamento das polícias, por exemplo. “Foi apresentado plano de metas que é uma mentira, um engodo. É a falência social”, disse o petista ao cobrar da ALE mais participação sobre as questões que envolvem segurança pública.

 

Matéria retirada do Portal Gazeta Web.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *