“Concurso da Educação tem que sair este ano e será para 3 mil vagas”, diz Adriano Soares

Secretário tem preferência pela contratação do Cespe “por questão de garantia de lisura do processo”

 

Por Lula Vilar

05/06/2013

 

Um entrave em relação à contratação da empresa organizadora do concurso da secretária do Estado da Educação tem emperrado a realização do certame, que – conforme o secretário Adriano Soares – tem que que ocorrer este ano, em função das necessidades da pasta.

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) defende que seja feita licitação para a organização do concurso. Adriano Soares defende que seja feita a contratação por dispensa. O secretário tem uma preferência pela contratação da Cespe/Unb. De acordo com o titular da pasta, “por uma questão de garantia de lisura do processo”.

Criou-se – desta forma – um embate entre a PGE e a Secretaria de Educação. “Desta vez não me indispôs com a PGE. Eu respeito e me desvisto da condição de advogado nestas questões e passo a ser só gestor. A PGE é um órgão de controle e o que diz precisa ser observado. Agora, eu vou procurar um convencimento do ponto de vista da gestão para que a Procuradoria entenda”.

Adriano Soares ressalta que a “grande questão” é “numa licitação pelo menor preço a Fundação Carlos Chagas, Getúlio Vargas, Cespe/Unb não entram. São estas que eu quero que façam o concurso”. Indaguei ao secretário o porque da preferência dele pela Cespe/Unb. Ele respondeu: “foram as que organização os concursos de juiz, Polícia Militar e Polícia Civil aqui em Alagoas e você não ouve questionamentos sobre a lisura do concurso. Para juiz de Direito houve dispensa de licitação”.

“O menor preço nem sempre é vantagem para o poder público. Às vezes o menor preço sai caro, como pode ser o caso. É uma área sensível e você não pode errar”, complementou. Adriano Soares diz ainda que o concurso é para mais de 3 mil vagas. “Esperamos – dentro deste número – ter 20 mil inscritos. Então, tenho tentado um entendimento. Vou conversar com o procurador na busca de uma última tentativa de entendimento, até com base no que já foi decidido pelo Tribunal de Justiça, no caso do concurso feito por eles”.

Questionei se diante deste entrave, o concurso ainda saia neste ano. Adriano Soares afirma que “sim”. “Tem que sair este ano. Olhe, se não tiver jeito, vai ter que ir para a licitação e seja o que Deus quiser. Rezar para que quem ganhar – numa licitação que envolva técnica e preço – que faça um concurso que não dê problemas. Tem que sair este ano porque estamos defasados e só conseguiremos melhorar o Ideb se avançarmos neste ponto”.

As declarações de Soares foram dadas ontem, durante o Blog do Vilar Ao Vivo transmitido pelo CadaMinuto. O secretário de Educação também falou do valor gasto com o transporte escolar. O assunto será tratado aqui no blog logo mais.

 

Matéria retirada do Site Cada Minuto.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *