Contaminação da tilápia afeta 15 mil pescadores

Famílias têm sobrevivido de cestas básicas fornecidas pelo Ministério da Pesca

 

Ana Paula Omena
21 Mai de 2013

Contaminação e morte dos peixes será investigada por uma veterinária do Ministério da Pesca

Um total de 15 mil pescadores que dependem especificamente da tilápia (espécie de peixe de água doce) no Complexo das Lagunas Mundaú e Manguaba estão sobrevivendo apenas de cestas básicas encaminhadas pela Superintendência da Pesca em Alagoas até que se descubra de fato o que está provocando a mortandade de peixes no local.

A veterinária de Saúde Animal, Lilian Azevedo, do Ministério da Pesca, está em Maceió para averiguar a situação, e posteriormente explicar o porquê da morte de mais de 150 quilos de peixes nos últimos dias.

Hoje, a veterinária, juntamente com os órgãos responsáveis, fará coletas da água e do peixe das lagoas para saber se de fato o que vem matando os peixes é a bactéria ‘aeromona’.

Sem ter como sobreviver, as famílias de pescadores estão preocupadas com a situação e querem, junto com os órgãos responsáveis, traçar alternativas a curto prazo para driblar a má fase.

Para Eliane Morais, presidente da Federação de Pescadores de Alagoas (Fepeal), a mortandade de tilápia não é novidade.Todos os anos, segundo explica, ocorre o processo natural de morte de peixes com o fim do verão e o início do inverno.

O superintendente de Pesca da Secretaria de Estado da Pesca e Aquicultura, Manoel Sampaio, lembrou que a poluição do Rio Paraíba, sobretudo causada por pocilgas que descartam fezes, restos de animais mortos e dejetos dentro da Lagoa Manguaba, contribui para a contaminação da laguna.

 

Matéria retirada do Site Tribuna Hoje.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *