Deputados federais de Alagoas gastaram R$ 1,5 milhão somente em 2013

Site divulga como deputados federais gastam suas respectivas cotas parlamentares

Cadu Epifânio
25 Setembro de 2013

Graças à Lei de Acesso à Informação, nº 12.527/11, é possível o cidadão conhecer quanto seu representante no Legislativo está custando aos cofres públicos. Como ele usa o dinheiro pago por nossos impostos. Só a bancada federal alagoana gastou este ano, até o dia 8 de setembro, R$ 1.599.550,96 para cobrir suas despesas. O deputado federal que mais gastou foi Maurício Quintella Lessa (PR) – R$ 234.555,45; o mais comedido foi Arthur Lira (PP), gastou R$ 94.178,29.

Fiscalizaí mostra que Quintella gastou mais de R$ 200 mil

Tais números tiveram como fonte uma iniciativa interessante de um estudante pernambucano. Antônio Albuquerque é aluno do curso de Ciência da Computação, da Universidade Católica de Pernambuco, criou o ‘Fiscalizaí’. Um site que facilita a navegação em portais da transparência, além de fornecer objetivamente o gasto total por partido; por fornecedor dos serviços, que integram a Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap); por deputado e por categoria.

O segundo na lista com maior dispêndio de recursos foi o deputado federal João Lyra (PSD) com R$ 210.343,33. A lista segue com a deputada Rosinha da Adefal (PTdoB) que gastou R$ 208.968,43; Francisco Tenório (PMN) vem em seguida com R$ 204.501,14 em gastos; Renan Filho (PMDB) aparece em quinto colocado gastando R$ 185.862,52.

Os últimos deputados federais em gastança da Ceap são Alexandre Toledo (PSDB) com R$ 170.552,44; Gilvado Carimbão (PSB), R$ 152.071,98; o petista Paulão aparece com R$ 138.517,38. O que menos demandou recursos públicos para custear suas despesas foi o líder do PP, na Câmara Federal, deputado Arthur Lira.

Reforma

Por meio de nota, o deputado Maurício Quintella esclareceu que a cota é legal e justificou que sua utilização ficou maior “em razão de algumas verbas específicas, como a divulgação das atividades parlamentares e telefonia, por exemplo”.

O parlamentar frisou que o valor elevado ocorreu em virtude de uma reforma em seu gabinete. “Isso se deve em parte à reestruturação na área de comunicação do gabinete parlamentar. Foi desenvolvido um novo site, nova arte para o informativo [que já estava defasada – era a mesma há mais de sete anos], a elaboração e impressão de uma nova edição, já que a última havia sido em 2011”, explicou.

Sobre a locação de veículos, “o contrato de prestação deste serviço é antigo, os carros são utilizados para percorrer o Estado e a utilização desta Ceap também varia muito de acordo com os períodos levantados”. Ele defende a realização de estudos para reduzir a verba.

Leia mais na versão impressa do jornal Tribuna Independente

 

Reprodução Tribuna Hoje.

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *