Governo lança programa para “socorrer” Saúde em Alagoas

O governo federal vai disponibilizar R$ 3 milhões em equipamentos para o Hospital Geral do Estado

 

Marigleide com assessoria

21/05/2013

 

Entrada do HGE

O secretário de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda, lança hoje (21) em Alagoas o Projeto SOS Emergência. O Programa vai adotar medidas para amenizar o caos instalado na Saúde Pública em todo o Estado. Para isso, o governo federal disponibilizará R$ 3 milhões em equipamentos para o Hospital Geral do Estado (HGE), além de garantir o repasse de R$ 200 mil mensais para o custeio da qualificação do atendimento no HGE e na Unidade de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca.

Em entrevista coletiva para a imprensa, Helvecio reconheceu que a gravidade da situação em Alagoas. “Nós encontramos em Alagoas uma situação difícil. Vamos fazer um diagnóstico e um plano de ação detalhado neste hospital ( referindo-se ao HGE) com classificação de riscos e melhorias nas estruturas físicas”.

Estamos criando inclusive um indicador que é maca no corredor. Não é certo ter maca no corredor. Para resolver isso, vamos ampliar leitos de retaguarda. São leitos em outros hospitais para amenizar isso”, pontuou.

Segundo o Ministério da Saúde, o SOS Emergência foi lançado em 2011 para qualificar o atendimento nas principais emergências do Brasil. Hoje o programa abrange 12 hospitais de grande porte com mais de 100 leitos que realizam internações e atendimentos ambulatoriais.

Em Alagoas, após a implantação do SOS Emergência, Helvécio Miranda, juntamente com os secretários estadual e municipal de saúde, e o governador do Estado, Teotonio Vilela Filho, e o prefeito Rui Palmeira, vão assinar a ordem de serviço para a construção de duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) na capital e inaugurar o Caps Ad em Maceió.

As duas Unidades de Pronto Atendimento serão construídas nos bairros do Benedito Bentes e Trapiche. Elas irão oferecer exames de raios-x, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação 24 horas.

Outro ponto crítico da saúde em Alagoas é a Rede Materno Infantil. Para fortalecer essa a área, está prevista a construção do novo Hospital Materno Infantil de Maceió. A reforma e ampliação do PAM Salgadinho e a reforma e reestruturação de 30 Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Maceió também fazem parte dos projetos reestruturantes na capital.
 

Matéria retirada do Site Primeira Edição.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *