Hospital Ib Gatto: Sindicato protocola novas denúncias contra o Estado no Ministério Público

Em Assembleia realizada nesta terça-feira com trabalhadores do Hospital Ib Gatto, de Rio Largo, diretores do SINDPREV-AL receberam uma série de novas denúncias quanto aos procedimentos adotados pela empresa Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), contratada pelo Estado para gerir administrativamente o Hospital.
A partir das denúncias apresentadas, o SINDPREV-AL procurou a representação em Rio Largo do Ministério Público Estadual para protocolar nova representação contra o Estado das irregularidades constatadas desde a chegada do ISAC e a forma de como vem sendo conduzida a situação dos servidores efetivos.
Estiveram presentes à Assembleia os diretores Célio dos Santos (presidente), Olga Chagas (Diretora de Comunicação) e Luciano Farias (Adjunto da Comunicação).

Denúncias

Na mesma Assembleia foi apresentada denúncia de que alguns servidores novatos contratados pela empresa ISAC estariam atuando no pronto atendimento e realizando conduta sem sequer saber aplicar uma medicação de forma segura, pondo em risco a vida dos usuários.
Diante deste fato grave, o SINDPREV-AL conversou com do ISAC, através da Senhora. Kamyla Bastos, alertando sobre a responsabilidade do que possa vir a acontecer aos pacientes caso insistam em colocar pessoas sem um treinamento seguro e habilitadas para as respectivas funções. Aos dirigentes do Sindicato, a Kamyla disse que tinha conhecimento do fato, mas que já afastou a funcionária envolvida no episódio e que estariam dando um treinamento aos demais servidores. Estranhamente, Kamyla informou que os funcionários recém-contratados ficarão apenas um mês, pois haverá um processo seletivo para substituição dos 48 servidores que deixarão o hospital Ib Gatto.

Dificuldades de trabalho

Durante a Assembleia, os servidores relataram dificuldades em trabalhar com escalas desfalcadas devido as mudanças impostas pela OSs. Segundo eles, algumas ausências acontecem pela carga horária que foi alterada e que coincide com a escala de outros locais onde os trabalhadores exercem suas funções.

Remoções e transferências

Como já havia sido anteriormente combinado, a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU) se comprometeu em informar ainda nessa semana o parecer da Procuradria Geral do Estado (PGE) sobre a legalidade de poder haver ou não as remoções dos servidores. Porém, até o momento não foi dado nenhuma resposta, deixando os trabalhadores cada vez mais apreensivos quanto a situação indefinida.
Em contato com a SESAU na pessoa do Sr. Robson José, o SINDPREV-AL foi informado que provavelmente estarão agilizando as remoções até o próximo mês de outubro/2018.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *