Mesa Diretora da ALE pode ser afastada na Justiça

Petistas defendem auditoria na folha e colocam seus gabinetes à disposição

 

Andrezza Tavares
31/07/2013

Diante das denúncias de fraudes na folha de pagamento da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), feitas pelo deputado estadual João Henrique Caldas (PTN), os bastidores políticos dão conta de que a Mesa Diretora da Casa pode ser destituída.

Judson Cabral se coloca a disposição e cobra esclarecimentos da Mesa Diretora da Assembleia. [Foto: Sandro Lima]

“Não há meio termo: ou a Mesa Diretora prova que seus atos foram pautados na probidade ou caso contrário que se afaste”, enfatizou o deputado estadual Judson Cabral (PT), que esteve reunido ontem com seu colega de partido, o Ronaldo Medeiros, para traçar as diretrizes de ação diante dos fatos.

Segundo Judson Cabral, se a Mesa não conseguir provar sua inocência e não se afastar por “livre e espontânea vontade, deverá ser afastada por força judicial”.

Os petistas defendem que as investigações sejam aprofundadas e avalia o momento como delicado. “Defendemos uma auditoria na folha de pagamento, se necessário, que se inicie pelo nosso gabinete”, sugeriu Judson Cabral.

Para o deputado Ronaldo Medeiros, de todas as denúncias apresentadas por JHC a mais grave é o fato de servidores fantasmas. “A Assembleia Legislativa tem mil funcionários mas só trabalham 300. É necessário que haja um recadastramento geral, pois aparecem pessoas como servidores efetivos, e não me lembro da ALE ter feito concurso publico”, salientou.

“Espero que a Mesa Diretora da ALE seja afastada para que tenha uma auditoria de forma independente, sem pressão ou manipulação”, destacou o deputado João Henrique, autor das denúncias. Ele afirma que é necessário dar uma satisfação a sociedade.

Cabral se coloca à disposição para ajudar e declarou que se for a vontade da maiora, assumirá a direção da ALE. “Não estou me insinuando, mas se isso ocorrer, não posso me recusar”, afirmou.

 

Reprodução Tribuna  Hoje.

31 Jul de 2013

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *