MPE cobra leitos de UTI pediátrica no Hospital Geral

Inspeção de promotores verificou crianças internadas no corredor de unidade e ausência de medicamentos

 

Gazeta Web

14/05/2013

 

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou, conforme publicação na edição desta terça-feira (14) do Diário Oficial do Estado, procedimento preparatório que tem como objetivo cobrar do Governo do Estado a entrega de leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] pediátrica no Hospital Geral do Estado, em Maceió. 

 

Reforma prometida no HGE ainda não foi concluída (Foto: Arquivo/Agência Alagoas)

O ato foi assinado pelos promotores Ubirajara Ramos, Luiz de Albuquerque Medeiros e Micheline Tenório, que, durante inspeção ‘in loco’, no último dia 22 de abril, constataram uma série de irregularidades, com crianças internadas nos corredores da unidade de saúde, além da ausência de medicamentos.

Conforme a publicação, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) se comprometeu, ainda em junho de 2010, a dar andamento à segunda etapa da reforma do Hospital Geral, com a construção de uma unidade de pediatria, com leitos de UTI pediátrica, ‘sendo que, até o momento, não há notícias sobre a inauguração da obra, fato que tem prejudicado, sobremaneira, a assistência prestada’.

O despacho explica ainda que, durante visita ao HGE, os promotores visitaram as instalações da unidade acompanhados do presidente do Conselho dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente, Cládio Soriano, ocasião em que se verificou ‘as condições precárias com que está sendo desenvolvido o serviço de pediatria no referido hospital’.

Segundo os promotores, verificou-se ainda a presença de mais de uma criança por leito. Na ocasião, dentre as crianças internadas com assistências deficitária, quatro delas eram cardiopatas e estavam a sofrer de insuficiência respiratória. E dentre as quatro crianças nesta delicada situação, três pesavam menos de 10 quilos, o que elevou a preocupação do Ministério Público.

Com isso, ainda de acordo com o procedimento preparatório, o MPE realizará ‘as diligências que se fizerem necessárias’, convocando uma reunião com a gerência do Hospital Geral do Estado, a fim de se debater soluções ao problema.

 

Matéria retirada do Portal Gazeta Web.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *