Mulheres alagoanas denunciam governo golpista e dizem não à reforma da Previdência

olga olga2 olga3 olga4 olga5 olga6 olga7 olga8 olga9 olga10 olga11 olga12 olga13 olga14 olga15 olga16 olga17 olga18 olga19 olga20 olga21 olga22 olga23 olga24 olga25 olga26 olga27 olga28 olga29 olga30

Fotos: Olga Chagas

O Centro de Maceió parou na tarde deste Dia Internacional de Luta da Mulher para dizer aos golpistas que a resistência diante dos ataques a direitos trabalhistas e sociais vai ganhar tons ainda mais fortes a partir de agora.

Desde o início da manhã, organizações dos movimentos sindical, Marcha Mundial das Mulheres Movimento das trabalhadoras rurais realizaram importante manifestação contra o governo golpista do Sr. Michel Temer e sua intenção de mexer na Previdência Social de homens e mulheres.

A retirada de direitos pelo governo vai prejudicar mais os trabalhadores mais pobres e as mulheres, que tem três jornadas. Aquela que chega do trabalho, tem que cuidar dos filhos e tem serviço em casa.
Agora é o dia 15

Além da fundamental batalha pela igualdade de gênero, a autonomia sobre os corpos foi outro ponto presente na manifestação. Em tempos de retrocesso, esse é um eixo fundamental para combater a violência contra elas.

As mulheres saíram às ruas do país pelo combate à violência de gênero, pela autonomia dos nossos corpos, pela legalização do aborto, mas, sobretudo, concluíram que a Previdência é muita cara, principalmente para as mulheres. Então, hoje gritamos reaja ou morra trabalhando. Esse foi um esquenta para o próximo dia 15.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *