Município de Cajueiro decreta estado de calamidade por causa da seca

Estiagem vem causando prejuízos materiais e sociais à população.Mais de 50 municípios alagoanos se encontram na mesma situação.

05/06/2013

G1 AL

 

Mais um município do interior de Alagoas se encontra em estado de calamidade pública por conta da seca. A edição desta quarta-feira (5) do Diário Oficial do Estado (DOE) trouxe o decreto de Cajueiro, localizada na Zona da Mata alagoana. A prefeitura do município afirma que a estiagem prolongada já provocou diversos prejuízos.

De acordo com o texto da publicação, a falta de água vem prejudicando as lavouras da região, trazendo grandes prejuízos econômicos e danos materiais e sociais à população. Além disso, os poços e demais reservatórios de água da região rural do município estão quase totalmente vazios.

Entre as ações a serem tomadas pela prefeitura para minimizar os efeitos da estiagem estão a convocação de voluntários para reforçar ações imediatas de resposta ao desastre e a realização de campanhas de arrecadação de recursos para as famílias atingidas. A Defesa Civil Municipal também está autorizada a desapropriar imóveis localizados em áreas de risco acentuado de desastre.

Assim como os demais municípios que publicaram decretos semelhantes, a situação atual libera a prefeitura de Cajueiro da realização de processos licitatórios para efetuar compras de equipamentos públicos destinados ao auxílio às vítimas da seca. O município também está autorizado a rever débitos anteriores e a abrir créditos para despesas imprevisíveis e urgentes. O decreto é válido por 180 dias, a contar de sua publicação.

De acordo com dados da Defesa Civil Estadual, 55 municípios alagoanos se encontram em situação de emergência ou de calamidade pública por conta da seca. Destes, apenas 49 estão autorizados a receber auxílio dos governos Estadual e Federal. Os demais municípios estão em processo de análise por parte da Defesa Civil Nacional.

 

 

Matéria retirada do Portal G1 AL.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *