Sindicato denuncia perseguição a servidores do Hospital Geral do Estado

Coordenadores do HGE estariam impondo um “regime” de escravidão aos funcionários

 

Lelo Macena – Gazeta de Alagoas
24/07/2013
A superlotação, as condições adversas de trabalho e o caos no atendimento do Hospital Geral do Estado (HGE) está criando um clima de hostilidade entre os servidores que pode deixar ainda mais complicada a situação dos pacientes que buscam atendimento no local.

O Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho do Estado de Alagoas (Sindprev-AL) denunciou ontem que servidores do HGE estão sendo perseguidos, submetidos a jornadas exaustivas de trabalho e sofrendo assédio moral de coordenadores das alas vermelha, azul e amarela.

Segundo o presidente do Sindprev, Cícero Lourenço, os coordenadores e funcionários de cargos de chefia impõem um “regime” de escravidão aos servidores, que não têm direito de reclamar.

“Nós estamos denunciando essa situação e já pedimos providências à direção do HGE”, disse Cícero Lourenço, ao afirmar que a situação também é crítica na Unidade de Emergência do Agreste.

Reprodução Gazetaweb.
Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *