Trabalhadores são resgatados em situação de escravidão em Penedo

Um levantamento do MTE aponta que a cidade alagoana está em terceiro no ranking

Da Redação 14 Mai de 2013

As operações fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) resultaram no resgate de 2.849 trabalhadores de condição análoga à de escravo em 2012 em todo o país. Só em Alagoas, foram 141 resgates durante o ano, sendo 110 apenas no município de Penedo, onde eles atuavam no setor da construção civil.

Segundo dados do MTE, o número elevado de trabalhadores resgatados em Penedo deixa a cidade em terceiro lugar no ranking de resgates em todo o país. Em primeiro lugar ficou o município de Marabá, no Pará, com 150 resgates de trabalhadores em situação de escravidão no setor siderúrgico.

Trabalho análogo ao de escravo na construção civil levou a 110 resgates só em Penedo, ano passado

Em segundo, ficou o município de Perobal, no Paraná, com 125 resgates de trabalhadores do setor sucroalcooleiro. O quarto lugar ficou com São Paulo, com 95 resgates no setor da construção e o quinto e último divulgado ficou com Engenheiro Beltrão, no Paraná, com 92 resgates no setor sucroalcooleiro.

O superintendente Regional do Trabalho em Alagoas, Israel Lessa, ficou surpreso com os números apresentados pelo MTE, porque, segundo ele, são dados compilados de todo o ano de 2012, que ele desconhecia. A reportagem questionou em que empresas trabalhavam as pessoas resgatadas em Penedo e onde ocorreram os demais resgates em Alagoas, porém o superintendente não soube responder.

Ele solicitou que o setor responsável fizesse uma pesquisa e respondesse o questionamento da Tribuna Independente por e-mail, porém a resposta não foi enviada até o fechamento desta matéria.

Brasil

Segundo o MTE, houve um aumento de 14,37% em relação a 2011 no número de trabalhadores libertados no país.

As operações, um total de 255, ocorrem no meio urbano e rural.Segundo avaliação da inspeção do Trabalho, o aumento do número de resgatados deu-se porque as ações fiscais foram realizadas em regiões até então não inspecionadas com habitualidade e houve um aumento no meio urbano. Além disso, ocorreu um aprimoramento da triagem das denúncias e do planejamento das ações.

As operações resultaram no pagamento total de R$ 9,5 milhões em verbas rescisórias, aos resgatados.

 

Matéria retirada do Site Tribuna Hoje.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *