Unidade: centrais sindicais afinam pauta para reunião com o governo

Representantes da CTB, UGT, FS, CGTB, NCST e CUT se reuniram na tarde desta segunda-feira (6), em São Paulo, para definir sua pauta de reivindicações no governo federal, por conta do encontro agendado para a próxima terça-feira (14) com o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Em nome da unidade do movimento sindical brasileiro, os líderes de cada central definiram que nenhuma das bandeiras de luta apresentadas à presidenta Dilma Rousseff no último dia 6 de março, após a 7ª Marcha a Brasília, será suprimida.

Ao longo da última semana, parte da imprensa veiculou que o governo federal iria apresentar sua própria pauta para ser discutida com as centrais. Na reunião desta segunda-feira (realizada na sede nacional da UGT), os sindicalistas lembraram que suas reivindicações já foram expostas a Dilma e que agora o momento é de ouvir o que o Executivo tem a oferecer, para então se iniciar uma mesa de negociação.

Avanços no governo Lula
Durante a conversa desta segunda-feira, coube ao presidente da CTB, Wagner Gomes, fazer a defesa da unidade das centrais. Ele recordou dos avanços conquistados ao longo do governo Lula e da realização da segunda Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), momentos em que a união prevaleceu.

“Não podemos deixar de lado a parte que nos une, pois é isso que garante a unidade das centrais. Se levarmos outros pontos de pauta, poderemos perder o foco naquilo que temos consenso. A unidade das centrais está acima de qualquer diferença que possamos ter”, salientou.

Dessa forma, os sindicalistas definiram que, independentemente daquilo que o governo se mostrar disposto a dialogar, as centrais não deixarão de lado suas bandeiras, entre elas a defesa da redução da jornada de trabalho e o fim do fator previdenciário – itens que, segundo a imprensa, não fariam parte da reunião da próxima semana.

Pauta
Além das oito reivindicações entregues ao governo federal em 6 de março, as centrais compreenderam que, para a reunião da próxima semana, também deverá ser colocada em discussão a regulamentação da chamada PEC das Domésticas”. (Fonte: Portal CTB)

Dessa forma, a pauta será composta dos seguintes itens:

– Fim do fator previdenciário
– Redução da jornada de trabalho para 40h semanais, sem redução de salários
– Educação: 10% do PIB para o setor
– Saúde: 10% do PIB para o setor
– Reforma agrária
– Valorização das aposentadorias
– Ratificação das convenções 151 e 158 da OIT
– Mudanças na política macroeconômica
– Regulamentação da PEC das Domésticas

 

Matéria retirada do site DIAP.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *