Centrais sindicais discutem fator previdenciário com o governo

22/08/2013

 

As centrais sindicais vão decidir, no prazo de 60 dias, se insistem na proposta do fim do fator previdenciário ou apresentam uma proposta alternativa. A decisão foi tomada na reunião nesta quarta-feira (21), em Brasília, com o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República; Manoel Dias, do Trabalho, e Garibaldi Alves, da Previdência Social.

Os representantes das centrais sindicais consideram a reunião importante porque o governo admite discutir o tema. A opinião é do deputado Assis Melo (PCdoB-RS), que também é membro da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

“Para nós, isso é de uma grande importância, por que é uma demanda antiga”, diz o parlamentar, destacando que o governo quer uma alternativa e as centrais querem o fim do fator. “Se estamos em mesa de negociação vamos ouvir as partes para chegar ao consenso”, diz ele.

Pascoal Carneiro, secretário geral da CTB, também faz avaliação positiva da reunião. Ele lembra que a reunião de hoje faz parte da agenda de reuniões das centrais sindicais com o governo federal para discutir a pauta de reivindicações do movimento sindical.

Ele diz que o governo não apresentou proposta e nem as centrais sindicais. O que ficou acertado foi a definição do prazo de 60 dias para apresentação das propostas. “O que ficou claro é que será debatida uma alternativa”, adianta Pascoal sobre a posição do governo. Quanto às centrais sindicais, ainda vai ser decidido se será mantida a proposta do fim do fator ou se haverá uma proposta alternativa e, nesse caso, qual será a alternativa.

As centrais sindicais voltam a se reunir com o governo daqui a 20 dias para tratar da mesma pauta, que inclui, além do fator previdenciário, a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e a Convenção 151, da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que disciplina as relações de trabalho na administração pública e as greves dos servidores. (Fonte: Portal Vermelho)

 

Reprodução DIAP.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *