Em semana de homenagens, governo promove ato de anistia política a Alexandre Vannucchi

Evento ocorre na sexta (15). No mesmo dia, viúva do jornalista Vladimir Herzog receberá o novo atestado de óbito, com as informações corrigidas e verdadeiras

Escrito por: William Pedreira

 

Nesta semana dois importantes fatos marcam o reconhecimento do Estado brasileiro como culpado pelas perseguições e mortes de militantes que lutaram contra a ditadura militar (1964-1985).Na próxima sexta (15), a Comissão de Anistia, vinculada ao Ministério da Justiça, realizará um julgamento simbólico e ato oficial de anistia política a Alexandre Vannucchi Leme. À epóca, com 22 anos e cursando o último ano de geologia da USP, Alexandre Vannucchi militava no movimento estudantil e na ALN (Ação Libertadora Nacional) quando foi assassinado pela repressão da ditadura em 1973.

Assim, o Estado brasileiro reconhece sua culpa pelo ocorrido e pede oficialmente desculpas à família.

Também na sexta, será celebrada uma missa em memória aos 40 anos do assassinato. O ato ocorre na Catedral da Sé, às 18h, mesmo local onde o corpo de Alexandre foi velado. A missa integra uma série de atividades em homenagem ao estudante, que dá nome ao Diretório Central de Estudantes (DCE) da USP.

“O Estado brasileiro, a partir da Comissão da Anistia instalada no governo Lula e com a orientação de Paulo Abrão, iniciou um processo de busca pela verdade, indo aos locais e declarando o Estado como culpado e pedindo perdão pela morte e assassinato de vários militantes que combateram a ditadura militar, não apenas reparando materialmente, mas reconhecendo politicamente o fato”, exaltou Expedito Solaney, secretário de Políticas Sociais da CUT.

Ainda no mesmo dia, em cerimônia na USP, Clarice Herzog, viúva do jornalista Vladimir Herzog, receberá o atestado de óbito corrigido por determinação da Justiça indicando a verdadeira causa da morte do jornalista: em vez de “suicídio”, o documento constará que o jornalista foi assassinado em decorrência de lesões e maus tratos sofridos nas dependências do 2º Exército de SP. Constava no laudo da época, assinado pelo legista Harry Shibata, que Herzog havia morrido “por asfixia mecânica”.

Ademais, no último dia 5 de fevereiro, a presidenta Dilma em audiência com a CUT, se comprometeu em encaminhar a reivindicação da Central para que a Comissão Nacional da Verdade tenha um capítulo específico sobre os trabalhadores perseguidos, torturados, desaparecidos e mortos pela ditadura militar.

“Agora, fizemos um documento solicitando uma audiência com os representantes da Comissão da Verdade. Também estamos em contato com o assessor especial da Secretaria Geral da Presidência da República, José Lopez Feijóo, para que encaminhe essa questão junto ao ministro Gilberto Carvalho. Na última semana, durante o encontro dos/as secretários/as de Políticas Sociais da CUT, foi deliberado que a Central deve ampliar sua posição de trabalho para instalar uma Comissão da Verdade própria, como já fez, por exemplo, a UNE e a OAB, para que possamos levantar nossos casos específicos na luta incessante pela memória, verdade e justiça”, destacou Solaney.

Veja abaixo a lista de eventos nesta semana:

14 de março (quinta-feira)

– Show: “Conversando de Paz”, com o cantor Sérgio Ricardo e convidados

Local: Centro Cultural São Paulo

19 horas

15 de março (sexta-feira)

68ª Caravana da Anistia da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça

(Ato Oficial de Reconhecimento pelo Estado Brasileiro de Alexandre
Vannucchi Leme como anistiado político)

Local: Instituto de Geociências – USP – Cidade Universitária

12 horas

 

– Missa da Catedral da Sé

  (Celebração presidida por D. Angélico Sândalo Bernardino)
18 horas

 

ENTIDADES ASSOCIADAS ÀS HOMENAGENS

Central Única dos Trabalhadores – Comissão Estadual da Verdade “Rubens Paiva” – Comissão Justiça e Paz – CONDEP – Conselho Estadual de Direitos Humanos – DCE Livre “Alexandre Vannucchi Leme” da USP – Fepesp – Federação dos Professores do Estado de São Paulo – Fórum Alberto pela Democratização da USP – Levante Popular da Juventude – MNDH – Movimento Nacional de Direitos Humanos – Núcleo de Preservação da Memória Política – Instituto Vladimir da Cultura – Sindicato dos Metalúrgicos do ABC – Sindicato dos Bancários de São Paulo – União Nacional dos Estudantes – União Estadual dos Estudantes.

Matéria retirada do site CUT-Nacional

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *