Nota da CUT em repúdio à eleição do deputado Marco Feliciano para presidir a CDHM da Câmara

Eleição do parlamentar, que notabilizou-se por posições discriminatórias e intolerantes, é um retrocesso e uma agressão à história de luta por direitos

Escrito por: CUT Nacional

A Central Única dos Trabalhadores – CUT, no seu 3º Encontro Nacional de Secretários e Secretárias de Politicas Sociais, das Federações e Confederações CUTistas manifesta repúdio à eleição  do deputado Marco Feliciano do PSC para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados – CDHM.

A CDHM foi criada a partir de intensa mobilização dos movimentos sociais e seu principal objetivo é contribuir para a afirmação dos direitos humanos de forma integral, do reconhecimento da diversidade e da tolerância, da constituição no âmbito do Parlamento de um espaço plural e de reconhecimento de identidades e lutas pela igualdade racial, pelos direitos das pessoas com deficiência, contra a discriminação de brasileiros/as LGBT, pela liberdade e diversidade religiosa, pela garantia dos direitos indígenas e quilombolas, pelos direitos sexuais e reprodutivos, pelo direito à memória e verdade, pelo direito a uma vida sem violência e pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras.

A eleição do deputado Marco Feliciano, que notabilizou-se por posições discriminatórias e intolerantes e por discursos de negação de direitos,   é um retrocesso e uma agressão à história de luta por direitos no Brasil. É inadmissível  que a Câmara dos Deputados  eleja  pessoas com este histórico, é  uma mácula na história da CDHM.

A Central Única dos Trabalhadores – CUT atuará fortemente contra o retrocesso e o anacronismo que representa a eleição do deputado Marco Feliciano na CDHM.

Lutaremos pela manutenção e efetivos avanços dos Direitos Humanos no Brasil.

Brasília, 07 de março de 2013

Executiva Nacional da CUT

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *