CNTSS encaminha ofício ao Ministro Henrique Meirelles informando da paralisação contra Reforma da Previdência no dia 15 de março em todo o país

greve

A Confederação Nacional dos Trabalhadores da Seguridade Social – CNTSS/CUT encaminhou um ofício ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles para comunicar a realização de várias atividades de mobilização contra a Reforma da Previdência no próximo dia 15 de março em todo o país.

Veja abaixo cópia do Ofício:

CT 010/17
São Paulo, 07 de março de 2017.
Ao Ministério da Fazenda Exmo. Sr. Dr. Ministro da Fazenda Henrique de Campos Meirelles Exmo.

Sr. Considerando que o debate sobre a Reforma da Previdência está acontecendo na Comissão Especial Mista do Congresso Nacional e que o relatório, muito provavelmente, deverá ser votado no dia 16 de março; Considerando que o movimento sindical cutista entende que esse debate está sendo realizado sem a participação da sociedade e que a Reforma da Previdência retira direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras, vimo, através deste, informar o que se segue: . Que a Reforma da Previdência se encontra na pauta de discussão, na agenda da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social da CUT; . Que os sindicatos filiados a Confederação estão discutindo com sua base e informando sobre as possibilidades das perdas de direitos com essa Reforma da Previdência. . Que a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social da CUT está convocando os trabalhadores e as trabalhadoras para um grande Dia Nacional de Paralisações, que acontecerá no dia 15 de março onde os Estados, através dos Sindicatos, estarão realizando atividades de ruas (atos ou caminhadas, paralisações nos locais de trabalho, etc.. Sem mais para o momento Atenciosamente Sandro Alex de Oliveira Cezar Presidente

 

Clique aqui para ver o oficio cntss

GREVE NACIONAL – 15 DE MARÇO A PREVIDÊNCIA IRÁ PARAR.

Dia 15.03, os trabalhadores de várias categorias irão paralisar suas atividades em todo o Brasil, em protesto contra a Reforma da Previdência que os condena a trabalhar até morrer.

A proposta em tramitação no Congresso Nacional por meio da PEC 287/2016, impõe uma série de regras dificílimas de se atingir: aposentadoria só depois dos 65 anos e só após 49 anos de contribuição, isso se o trabalhador “desejar” receber o valor do benefício integral.

Reduz quase pela metade o valor da Pensão por Morte. Como se isso já não fosse o bastante, também impede mulheres e homens, que por um infortúnio familiar, recebam uma pensão por morte e possuem um emprego ou uma profissão liberal, a continuar recebendo essa pensão quando chegar o momento de se aposentar.

É que na proposta de reforma do presidente Michel, consta a proibição de acumular a pensão com uma aposentadoria.

Isso significa que caso você trabalhe e também seja pensionista, se conseguir chegar a reunir todos os requisitos para a obter sua tão sonhada aposentadoria, você terá de optar:

1 – Ou fica recebendo APENAS o valor da pensão, caso ele seja maior que o valor de seus últimos salarios;

Neste caso, você percebe que NÃO PODERÁ GOZAR DO SEU DIREITO DE SE APOSENTAR, ainda que tenha contribuido por 49 anos ou mais.

2 – Ou terá que optar por receber SÓ a aposentadoria!

Neste caso VOCÊ DEVE PERDER METADE DO VALOR DE SUA RENDA FAMILIAR, caso a pensão tenha sido decorrente da perda do cônjuge ou outro ente querido.

Para conseguir aprovar essas reformas que obrigam homens e mulheres a trabalharem até morrer, e restauram várias regras existentes apenas no período em que o Brasil era uma Colônia do Império Português, o presidente Michel extinguiu o Ministério da Previdência assim que tomou posse. Além disso, determinou a incorporação das estruturas do Ministério da Previdência ao Ministério da Fazenda e do INSS ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário.

FIQUE DE OLHO.
Com essa Reforma da Previdência que está em discussão na Câmara dos Deputados, através do Projeto de Emenda Constitucional 287/2016, a sobrevivência com dignidade, de milhões de trabalhadores e trabalhadoras quando alcançarem a velhice, estará seriamente comprometida.

A qualidade de vida e o seu futuro estão nas mãos e nos votos do Deputado Federal e dos Senadores que você votou nas últimas eleições.

Acompanhe como eles se votarão, quais propostas ele irá defender. Verifique se eles votarão para garantir seu beneficio, sua pensão e sua aposentadoria com valores integrais ou se eles defenderão os interesses de grandes grupos privados de Previdência Complementar.

Diante desses absurdos, a CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social da CUT está convocando os trabalhadores e as trabalhadoras de todo o pais, para um grande Dia Nacional de Paralisações, que acontecerá no dia 15 de março onde os Estados, através dos Sindicatos, estarão realizando atividades de ruas (atos ou caminhadas, paralisações nos locais de trabalho, etc..

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *