Contra o desmonte do serviço de saúde do trabalhador, Assistentes Sociais realizam ato no dia 8 de maio, em Brasília e nos estados

serviço

Diante do atual cenário de diversos ataques aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, um contexto conservador e regressivo de direitos, principalmente, em relação ao desmonte do Serviço de Saúde do Trabalhador. Os assistentes sociais e trabalhadores do setor de Reabilitação Profissional estão se mobilizando e estão construindo uma grande paralisação, com atos na sede do INSS em Brasília e nas Gerências Executivas nos Estados, no dia 8 de maio (segunda-feira).

Leia manifesto:

Nós, trabalhadores no Brasil, estamos enfrentando diversos ataques em nossos direitos com a aprovação da lei da terceirização e as propostas de reforma da previdência social e trabalhista, que atingem diretamente o nosso custo de vida, além de aumentar o desemprego, a pobreza e a violência.  Através da mídia, o governo e seus aliados mentem para população ao afirmar que essas mudanças são importantes para reduzir os gastos públicos e pagar as dívidas do Estado Brasileiro. E, assim, acobertam o roubo do nosso dinheiro público por meio da corrupção entre os políticos e empresariado, inclusive do sistema financeiro.

Querem tornar lei o desvio de dinheiro dos serviços públicos para os bancos e empresas e destruir ainda mais nossos direitos sociais.  Tudo está muito bem planejado para fazer com que a população acredite que as perdas sociais são um mal necessário e aceite que mais uma vez sejam roubados nossos direitos. Por isso, uma grande campanha tem sido realizada contra os serviços públicos, os direitos sociais/trabalhistas e os servidores.

O INSS é um dos principais exemplos destas medidas. Os (as) servidores(as) enfrentam problemas como péssimas condições de trabalho e falta de servidores para atendimento à população. E tudo isso prejudica a nós trabalhadores, que não temos um atendimento de qualidade, esperamos meses e horas para sermos atendidos e muitas vezes temos que nos deslocar, por conta própria, para outras cidades, pois no local onde moramos não é ofertado determinado serviço de que necessitamos.  Esta realidade é resultado de uma ação direta do governo para vender a imagem que o serviço público não serve e, assim, privatizar o INSS.

Os servidores do INSS constantemente têm denunciado esta situação e defendem a previdência social pública e ampliada.  Esse governo corrupto e seus aliados instituíram a atividade para os médicos peritos do INSS fazerem o “pente fino” do auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. E agora, por medo da revolta da população, proibiram a entrega do resultado da perícia médica no INSS e ainda ameaçam punir o servidor que descumprir essa ordem.

Além disso, os servidores do INSS são alvo de ataques de determinados setores da DIREÇÃO do INSS que, junto com o governo agem para destruir os direitos dos trabalhadores brasileiros.  O Serviço Social e a Reabilitação Profissional do INSS estão sendo desmontados e ameaçados de extinção por serem áreas que desenvolvem atividades diretas com a população e entendem que, para a além da doença, questões como pobreza, baixa escolaridade, desemprego, falta de atendimento no SUS, exploração das empresas, dentre outros, são fatores que pioram a saúde do trabalhador e o impedem de trabalhar para garantir o pão na mesa.

O governo quer terceirizar o programa de Reabilitação Profissional para entidades representantes das empresas e acabar com o atendimento dos assistentes sociais à população dentro do INSS. E com isso acabar com qualquer tipo de avaliação biopsicossocial e multiprofissional, prejudicando, assim, milhares de pessoas que possuem algum grau de deficiência, além dos segurados em auxílio-doença.

POR ESSES MOTIVOS QUE VIEMOS A PÚBLICO DENUNCIAR! Juntem-se a nós nessa luta para a garantia de que estes serviços fundamentais aos usuários do INSS não sejam destruídos por este governo.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *