Dirigentes da CNTSS/CUT se reúnem com novo presidente do INSS

Encontro, que aconteceu no último dia 19, em Brasília, permitiu que as lideranças discutissem sobre a pauta de reivindicações dos servidores do INSS
Escrito por: Assessoria de Imprensa da CNTSSCUT

 

A CNTSSCUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social se reuniu na terça-feira, 19 de dezembro, com o presidente do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, Francisco Paulo Soares Lopes. O encontro aconteceu na sede do Instituto, em Brasília, e contou também com a participação do Diretor de Gestão de Pessoas, Alexandre Guimarães. O novo presidente do INSS tomou posse em 05 de dezembro e substitui Leonardo Gadelha, que ficou à frente do Instituto por 510 dias.

A Confederação foi representada por Adão Pereira Alves, Ana Ângela Brasil, Jacobi Cardoso, Mauro Mota de Oliveira, Ronaldo Augusto Alcântara, Terezinha de Jesus Aguiar, Valdir Sabino e Mara Regina Pereira. Na ocasião, também houve a participação de representantes da FENASPS. Os dirigentes da Confederação apresentaram uma pauta com assuntos de interesse dos trabalhadores que ainda se encontram pendentes, inclusive com temas oriundos desde a época da greve de 2015. A discussão teve início com os questionamentos sobre carreiras e a criação do Comitê Gestor.

Os dirigentes reafirmaram a importância da valorização da carreira para os servidores e para o processo de trabalho no Instituto. Para tanto, a instalação do Comitê Gestor, já estabelecida na Lei 13.324, de 29 de julho de 2015, é uma ferramenta importante. As últimas informações colocam que a proposta se encontra na Consultoria Jurídica do Ministério do Planejamento. A constituição de um Plano de Cargos e Carreira é fundamental para a categoria ser reconhecida e valorizada com perspectiva de crescimento profissional. O presidente do INSS ficou de agendar uma reunião no Ministério do Desenvolvimento Social e Planejamento para definição desta pendência.

Sobre IMA/GDASS, os representantes da Confederação reiteraram o descontentamento pelo fato de a portaria que estabelece indicadores e metas ter sido formulada sem a participação das entidades representativas dos trabalhadores. Foi apresentada a discussão sobre a suspensão do 19º Ciclo, haja vista que o Instituto vive um momento de profundas mudanças com a implantação do INSS Digital. Ficou assegurada a participação das entidades dos trabalhadores no estabelecimento de nova portaria sobre este tema.

O presidente do Instituto informou que o INSS Digital estará totalmente implantado até 19 de julho do próximo ano. Segundo ele, todos os esforços estão sendo realizados para que este projeto seja efetivado o mais rápido possível. Os trabalhadores insistiram na necessidade de abertura de um canal de diálogo sobre esta questão que atinge tão intensamente os processos de trabalho e os trabalhadores do INSS. Ficou estabelecida, então, a criação de um Grupo de Trabalho para discussão do tema. O representante do INSS sugeriu que os trabalhadores realizem um estudo sobre o programa e apresentem propostas.

Um ponto importante da pauta foi a respeito da liminar dos advogados. O presidente solicitou mais tempo para poder se integrar das informações e poder se manifestar. Os dirigentes também demonstraram interesse que as Diretorias do Instituto participassem das audiências para agilizar o processo de definição das necessidades apresentadas pelos trabalhadores. O diálogo com os diretores poderia auxiliar na resolução de problemas.

Os representantes da CNTSSCUT aproveitaram para reafirmar a defesa dos profissionais do Serviço Social e Reabilitação Profissional que atuam no Instituto e destacaram a importância destes profissionais na estrutura do INSS. Foi solicitada a revisão do Regimento Interno no que se refere às competências e atribuições do Serviço social, tendo como enfoque as legislações previdenciária e as que regulamentam a profissão destes trabalhadores. Foi destacada a crise criada pelos médicos peritos com a finalidade de inviabilizar e impedir o trabalho destes profissionais. O presidente se comprometeu a fazer uma revisão no Regimento Interno e orientou aos assistentes sociais a apresentarem uma proposta de alteração nos itens sobre o serviço social e entregar o quanto antes na DG/INSS.

Os dirigentes pressionaram para saber sobre a portaria para as atividades sindicais que está no Planejamento. Francisco Paulo Lopes fez contato com o Planejamento e agendou uma reunião sobre o tema com a participação de representantes dos trabalhadores. Outro tema foi os descontos nos contracheques dos servidores do INSS em decorrência dos dias parados nas greves gerais de março, abril e maio. Foi informado ao presidente que o Planejamento orientou que deve ser resolvida esta questão diretamente com o INSS.

Foi mencionada a importância da reposição da força de trabalho no Instituto por meio da realização de concurso público e a convocação de aprovados. Há um déficit reconhecido pelo ex-presidente Gadelha de 14.402 servidores entre técnicos e analistas e de 2.146 peritos, totalizando 16.548 trabalhadores.  Neste sentido, foi informada a chamada de 475 trabalhadores aprovados em concurso. A Confederação também reivindicou a participação dos representantes dos trabalhadores nos vários grupos de trabalho já formados no INSS. Ficou comprometido que serão providenciadas novas portarias para inclusão das entidades nestes grupos.

O atual presidente do INSS se comprometeu a intermediar todas as propostas apresentadas. Também ficaram agendados novos encontros para dar prosseguimento aos trabalhos, Há a previsão de que em 14 de janeiro seja realizada uma reunião sobre o Serviço Social em relação a seu regimento interno. Em 25 de janeiro, um novo encontro para apresentação de respostas sobre as reivindicações apresentadas agora.

José Carlos Araújo

Assessoria de Imprensa da CNTSSCUT

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *