Entidades nacionais e governo não fecham acordo sobre reposição da greve do INSS

Ontem, 20, aconteceu reunião entre as entidades nacionais, CNTSS e FENASPS, com a presidente do INSS, Elisete Belchiol, e a equipe de gestão do Instituto. A reunião serve para discutir o formato da reposição da “demanda” da greve represada durante os 78 dias de paralisação dos servidores. Após a reunião, que ocorreu na sede do INSS em Brasília, 16h, o Coordenador Geral do SIDIPREV-SE, Isac Silveira, esteve representado na composição da CNTSS e elencou os seguintes pontos:

“Não houve acordo entre as entidades nacionais e o INSS no tocante ao formato de pagamento do represamento/atividades oriundas da GREVE 2015, porque as entidades não aceitam a individualização da reposição, mas sim através da mensuração do trabalho das APS. Isac informou ainda que para o início da reposição, será preciso um redutor de 30 a 40%, já que os servidores já fizeram o escoamento do atendimento das senhas espontâneas e processos represados, serviços realizados pela internet e o esclarecimento, no período da greve, à população sobre os serviços disponíveis na Web. Além desta redução, as entidades propuseram a redução de mais 40% através do “Estoque”, que são os benefícios agendados para até 120 dias em algumas APS. Para as entidades, a antecipação deste “Estoque” agilizará a reposição das atividades da greve, não causando prejuízo ao REAT devido a suspensão até março 2017. Dentro desta ótica, as entidades vislumbram o pagamento de 70% das atividades de reposição, sendo 30% já atendidas através do escoamento das senhas espontâneas e 40% através do atendimento do “Estoque”.

SOBRE A MINUTA PUBLICADA PELO INSS

As entidades protestaram contra a publicação de uma minuta do INSS dirimindo sobre a reposição da greve, sem a discussão e anuência das entidades, podendo ser considerada “quebra de acordo de greve” por trazer o pagamento de horas e “assédio aos trabalhadores” por promover desconfiança no trabalho das entidades. Segundo Isac, a minuta não leva em consideração o trabalho já utado pelos trabalhadores do INSS, desde o fim da greve e a coletividade da reposição das atividades. As entidades disseram não aceitar nenhuma forma de imposição e que, desde a greve, o processo de construção deveria se dar de forma coletiva.

MUTIRÕES SÃO PROPOSTOS PARA ENCERRAR A REPOSIÇÃO DA GREVE

No intuito de encerrar o processo de reposição das atividades, a CNTSS propôs mutirões em alguns sábados para a otimização da regularização das demandas represadas e uma resposta rápida de satisfação à população e órgãos controladores.

Nova reunião está agendada para sexta, 23, para a continuidade da negociação da reposição.

Por: Joaquim Antonio Ferreira de Souza (Secretário Geral do SINDIPREV/SE)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *