Servidores da saúde param serviço por 24h; HGE mantém só a emergência

Trabalhadores realizam novo ato contra a suspensão do pagamento da GPF e cobram melhorias salariais

Os servidores da saúde de Alagoas paralisaram as atividades na manhã desta quinta-feira (12). As unidades do Hemocentro de Alagoas (Hemoal), do Hemocentro do Agreste (Hemoar), do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) de Maceió e Arapiraca, do Hospital Hélvio Auto, da Maternidade Santa Mônica, do Hospital Portugal Ramalho e da Unidade de Emergência do Agreste funcionam com apenas 30% dos serviços. No Hospital Geral do Estado (HGE) funciona apenas a emergência, mas todo paciente que chegar será avaliado.

De acordo com a diretora de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev-AL), Olga Chagas, a paralisação, de 24 horas, é uma advertência ao governo do Estado. Esse é o 12º ato da categoria somente este ano. Caso não tenha nenhum acordo, a paralisação poderá ser estendida por 48 horas.

Os servidores continuam com as reivindicações contra a suspensão do pagamento da Gratificação por Função (GPF) – o governo criou uma lei para poder incorporar 11%. O projeto foi discutido com algumas lideranças do estado, aprovado e sancionado pelo governo. Os servidores querem uma nova discussão com o governo para a incorporação total, além de reajuste salarial de 25% e realização de concurso público.

Os servidores se reuniram em frente ao HGE, na manhã desta quinta, com tenda e carro de som.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *