Mobilização do SINDPREV no INSS

inss2

inss inss2 inss3 inss4 inss5 inss6 inss7

No último sábado, 26/04, a Gerência do INSS em Maceió, organizou um mutirão em duas Agências da Previdência Social: Montemáquinas e Ary Pitombo.

Para isso, convocou 50 servidores de várias unidades do órgão no estado. O objetivo foi atender cerca de 450 segurados que estavam com data de agendamento muito distante, e melhorar os indicadores de desemprenho das unidades socorridas.

Os servidores dessas unidades e os que foram mobilizados para essa operação, constantemente estão tendo que executar esse tipo de ação emergencial, em período de trabalho para além do tempo regular – segunda a sexta – para atender o cumprimento de metas de desempenho, que estão ficando cada vez mais difíceis de cumprir.

O SINDPREV-AL aproveitou a oportunidade da concentração de servidores de várias agências do interior do estado e convocou uma rápida reunião para lhes repassar as últimas informações das ações ocorridas em Brasilia.

Na ocasião, os servidores reclamaram ao sindicato, da falta de condições de trabalho nessas unidades, e as péssimas condições para o atendimento dos usuários. Os servidores relataram também a lentidão dos aplicativos e sistemas e dos equipamentos de informática. De acordo com os servidores, a maioria dos computadores que estão sendo utilizados, já encontram-se ultrapassados tecnologicamente e possuem desempenho inadequado para suportar os diversos aplicativos do INSS. Esses problemas conjugados, terminam por impactar o fluxo do trabalho.

O SINDPREV informou que essas demandas serão encaminhadas à GEXMCO. A entidade aproveitou a presença dos gestores e cobrou as datas de mudança das APS Ary Pitombo e Montemáquinas.

Conforme o Gerente Executivo, a mudança da APS Ary Pitombo ainda deverá demorar cerca de 45 dias, pois está dependendo da finalização dos serviços pela empresa que foi contratada.

Com relação à APS Montemáquinas, o gerente informou que tudo o que dependia da GEXMCO, foi providenciado. Falta apenas a liberação do orçamento por Brasília, para se iniciar as adequações no imóvel onde atualmente funciona a MEA MAGAZINE, na Serraria.

O SINDPREV se colocou à disposição da GEXMCO para ajudar na cobrança ao DIROFL da Direção Geral, em Brasília, para que agilizem a liberação dos recursos necessários ao início das obras e a mudança da APS Montemáquinas.

Além disso, o SINDPREV também informou os assuntos debatidos na reunião do CGNAD – Comitê Gestor de Avaliação de Desempenho, convocada pela Diretoria de Gestão de Pessoas do INSS. De acordo com o representante do sindicato, na reunião ocorrida em Brasilia, nos dias 23 e 24, a DGP apresentou um estudo sobre os impactos financeiros das incorporações da GAE ao VB, e de uma média dos 50 pontos da GDASS, dos últimos cinco anos.

O SINDPREV também informou que houve a instalação do Fórum Permanente Sobre Gestão de Pessoas do INSS. Nesse fórum, os representantes das entidades (CNTSS/CUT, FENASPS e ANASPS) fizeram uma verdadeira catarse, onde relataram a situação de adoecimento, até falecimento em serviço, estresse e muita pressão, pelas quais passam os servidores, em função da pressão e das cobranças para atingirem as metas fixadas.

Também foi abordado que hoje já existe cerca de 13.000 servidores recebendo abono permanência. Na opinião dos representantes das entidades, isso representa uma verdadeira “bomba relógio”. Esse número, conjugado com a evasão de talentos dos novos servidores, indica a possibilidade de ocorrência de um caos nas agências da previdência.

Tal alerta se dá na medida em que pode ocorrer uma sangria incontrolável de servidores, pela conjugação da saída de aposentados e a emigração de servidores que ingressaram nos últimos concursos, os quais estão pedindo demissão para assumir sua vagas em outros órgãos, por terem sido aprovados em outros concursos.

O SINDPREV informou que os representante da CNTSS/CUT, defenderam nesses fóruns, a definição de uma verdadeira Carreira do Seguro Social, pois hoje o que existe é apenas uma tabela. Defenderam também a correção dos valores do auxílio-creche, hoje congelado em R$ 66,00 e do auxílio-alimentação; o resgate do programa de Bolsas de Estudo, extensiva aos mestrados strictu senso; a redução do interstício da progressão de 18 para 12 meses; a revisão da metodologia de definição das metas e dos indicadores; o Adicional de Qualificação e a revisão na definição das atribuições dos cargos de Técnico e de Analísta do Seguro Social, por fim, defenderam a correção no valor das FG. Nesse ponto a DGP informou que está em estudo a transformação das FGs em 05 FCINS.

Os dirigentes das três entidades manifestaram sua preocupação, de que toda essa discussão não seja algo “apenas para inglês ver”. Ou seja, esperam que a DGP, a Presidência do INSS e o Ministério da Previdência, dialoguem com o Ministério do Planejamento e apresentem uma resposta concreta que sirva de alento para essa categoria.

Não dá mais para que ocorra o mesmo o que aconteceu com a discussão e o relatório do GT do INSS: faz dois anos que está pronto e de lá para cá não houve nenhum avanço!

Todos esses pontos deverão ser tratados na plenária da CNTSS/CUT a ser realizada no próximo dia 29/04, em Brasilia.

Por último, o sindicato consultou a categoria sobre a disposição de aderirem a uma greve ou paralisação de 24 ou 48 horas, caso ela venha ser deflagrada em nível nacional. De acordo com os presentes, a situação está insustentável e se faz necessário a tomada de uma atitude urgente, que faça com que o governo nos ouça e nos atenda.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *