Mulheres camponesas ocupam sede do INSS de Alagoas contra Reforma da Previdência

mst mst2 mst3 mst4 mst5 mst6 mst7 mst8 mst9 mst10

Em luta contra a Reforma da Previdência e outras bandeiras históricas, cerca de 500 camponesas de todas as regiões do estado de Alagoas iniciaram nesta terça-feira (7) a Jornada de Luta das Mulheres, com a ocupação da superintendência do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), na capital Maceió. O ato conta com o apoio de diretores do SINPREV-AL e da Marcha Mundial das Mulheres-AL na jornada de lutas contra a Reforma da Previdência.

Com faixas, bandeiras e cartazes, as manifestantes protestam contra a Reforma da Previdência, proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB).

De acordo com Débora Nunes, da coordenação nacional do MST, a reforma proposta pelo governo Temer deve ser repudiada por todo o povo brasileiro. “Com a proposta de reformar a Previdência, o governo golpista e ilegítimo de Michel Temer, na verdade, afronta os direitos historicamente conquistados pelas trabalhadoras e trabalhadores. Essa é mais uma tentativa de fazer com que o povo pague por uma conta que não é nossa”, destacou Nunes.

Ascom/MSTMulheres ocupam sede do INSS

Mulheres ocupam sede do INSS

“Nossa ocupação aqui, soma-se aos atos em todo o país contra qualquer postura que ameace as nossas conquistas. Defendemos uma Previdência pública, universal, solidária e que garanta aos trabalhadores e trabalhadoras, que por toda a sua vida trabalham para construir esse país e uma sociedade melhor, uma aposentadoria digna”.

As camponesas denunciam a paralisia na Reforma Agrária e o ataque do governo Michel Temer (PMDB) ao campo brasileiro através da Medida Provisória 759, que trata da regulamentação fundiária, com medidas que ameaçam as trabalhadoras e trabalhadores rurais, retirando diversos direitos conquistado pelas lutas das camponesas e camponeses ao longo dos anos. Elas também afirmam que a medida busca criminalizar os movimentos que lutam pela democratização da terra e seus processos de mobilização.

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *