Rachaduras, entulho e lixo em prédio do INSS levam à suspensão nos serviços

Por Sidnei Tenório/tudonahora.com.br

Os servidores da agência Ary Pitombo, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), suspenderam o atendimento nesta quinta-feira (19), para cobrar uma reforma imediata do prédio, que apresenta infiltrações, rachaduras e cujas salas viraram depósitos de lixo. Os funcionários afirmam que a cada 15 dias vão cruzar os braços até que a direção do órgão em Alagoas anuncie o início das obras.

Diretores do Sindicato dos Servidores da Previdência (Sindprev) levaram a reportagem do Tudo na Hora para conhecer a estrutura da agência Ary Pitombo. Segundo o diretor do Sindprev, Ronaldo Alcântara, nos próximos dias o sindicato irá apresentar ao Ministério Público Federal um laudo da Defesa Civil que considera um risco à saúde dos trabalhadores e segurados permanecer no prédio da agência Ary Pitombo.

Os problemas no prédio que recebe cerca de 1 mil segurados e beneficiários por dia começam logo no primeiro andar, onde existem apenas dois banheiros para atender a todos os usuários. No destinado a deficientes físicos, a barra de apoio está repleta de ferrugem.

Na parte da cozinha, há infiltrações, lixo e uma rachadura na parede e no piso que preocupa os servidores. “Trabalho aqui há 27 anos e o abandono chegou ao limite. Temos receio que esse prédio desabe, já que apresenta rachaduras e várias infiltrações. Está perigoso trabalhar e receber a população aqui”, afirmou a servidora e diretora do sindicato, Andréia Malta.

No primeiro andar, apenas algumas salas são utilizadas para atendimento. As demais estão abandonadas e viraram depósitos de entulhos. No segundo andar, a situação é ainda pior: salas com lixo e banheiros sem a menor condição de uso. O terceiro e quarto andar estão vazios. “É difícil entender como o INSS, uma autarquia federal, deixa um prédio central chegar a uma situação como essa”, lamentou a servidora.

Outra situação grave está na escada de emergência, que está coberta de ferrugem.

“Vamos continuar com o calendário de paralisações até que tenhamos uma resposta positiva. É preciso que o atendimento seja transferido temporariamente para outro prédio, enquanto ele passa por uma reforma”, disse Ronaldo Alcântara.

Desde o dia 22 de março, o Edifício Pamares, onde funcionavam órgãos federais em Alagoas, está interditado e os serviços suspensos. Em um primeiro momento, chegou-se a ventilar a possibilidade de os serviços serem transferidos para os andares desativados do prédio onde funciona a agência Ary Pitombo, mas a transferência não foi concretizada.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *