Secretário se irrita com servidores e desmarca reunião com Sinteal

Audiência havia sido prometida pelo gestor aos trabalhadores e a deputados que intervieram na situação

 

Reunidos em frente ao prédio da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE) desde as 11h desta quinta-feira (14), centenas de trabalhadores aguardaram uma audiência com o secretário Adriano Soares, que se recusou a atendê-los. O gestor havia concordado em agendar uma audiência com os sindicalistas para a próxima quarta-feira (20), ao meio-dia, depois que os deputados estaduais Judson Cabral (PT) e Ronaldo Medeiros (PT) intervieram na situação. Porém, minutos depois de ter feito a promessa aos servidores e aos parlamentares, o secretário publicou nas redes sociais que “não receberia o Sinteal em hipótese alguma”.

 

Deputado Ronaldo Medeiros diz a servidores que Soares concordou em recebê-los na quarta-feira; encontro foi desmarcado minutos depois, via facebook (Foto: David Lucena)

“Eu havia concordado em receber na quarta-feira que vem o SINTEAL, com a mediação de dois deputados. Mas, diante dos discursos agressivos e inflamados que estão fazendo agora, nesse exato momento, aqui na frente, no carro de som, com agressões pessoais e à gramática, EU NÃO RECEBEREI O SINTEAL em hipótese alguma”, publicou Adriano Soares em sua conta no Facebook.

Depois de reivindicarem uma reunião com o secretário e não serem atendidos, os manifestantes do Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Alagoas (Sinteal) entraram no prédio da secretaria, mesmo depois de o gestor ter mandado trancar os portões.

Os sindicalistas ficaram revoltados com o fato de o secretário, mesmo com uma comissão de nove pessoas formada, manter a postura de não receber os trabalhadores. Além disso, eles afirmaram se sentir ofendidos com as mensagens consideradas desrespeitosas que o secretário publicava na internet, enquanto os servidores aguardavam na sala ao lado.

Acusações no facebook

“Já escrevi aqui sobre esse sindicalismo falido de Alagoas. São sempre as mesmas pessoas, que ficam se revesando (sic), sempre com a mesma pauta, com o mesmo velho e embotado discurso. São incapazes de fazer uma agenda séria para a educação ou qualquer outra área. Já recebi o Sindicato que realmente representa a categoria, o SAE-AL”, declarou o secretário de educação, em uma das várias mensagens publicadas na internet.

“Verdade seja dita: a única coisa boa do SINTEAL é a trilha sonora das músicas que estão tocando no carro de som: Chico Buarque, Maria Bethânia entre outros nomes da MPB. O pessoal do gabinete está trabalhando até mais animado. Espera-se que eles continuem assim, sem nos obrigar a ouvir ‘Camaro Amareo’, de Munhoz e Mariano, ou ‘Fiorino’, do Gabriel Gava”, prosseguiu Soares.

Revoltados com as acusações e a ironia do gestor, os sindicalistas exigiram respeito. “Este [Sinteal] é o maior sindicato do Estado, que foi desrespeitado pelo secretário. Ele acha que pode resolver os problemas da educação sem diálogo e atacando os seus trabalhadores”, declarou Célia Capistrano, que acusou Adriano Soares de prática anti-sindical.

Os servidores públicos da rede estadual de ensino reivindicam o Plano de Cargos, Carreira e Subsídios (PCCS) dos funcionários administrativos de apoio. O secretário informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que não irá dialogar com o Sinteal, pois, as negociações acontecem diretamente com o sindicato dos trabalhadores do setor administrativo de apoio.

 

Matéria retirada do Portal Gazeta Web.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *