Servidores da saúde protestam e fecham Avenida Siqueira Campos

S

Fonte: tnh1.ne.com.br/uol.com.br

A Avenida Siqueira Campos, principal via do bairro do Trapiche, foi interditada na manhã desta sexta-feira (29) por servidores estaduais da área da Saúde. Eles paralisaram as atividades desde o início da manhã e protestam contra o corte das gratificações para os servidores.

De acordo com o presidente do Sindprev (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social, Saúde e Previdência), Cícero Lourenço, os servidores irão fazer uma passeata do Hospital Geral do Estado (HGE) até alguma secretaria no Centro da cidade. “Vamos mostrar nossas propostas ao governo e à população. O governo tem que discutir a questão das gratificações conosco. Temos o direito de opinar”, reclama Lourenço.

Já segundo Cláudio Wagner, presidente do Sindsamu, os servidores do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) decidiram cruzar os braços até o meio dia de hoje para cobrar do governo melhorias nas condições de trabalho e a manutenção do pagamento das gratificações aos servidores que estão suspensas.

“Estamos esperando uma reposta do governo para resolver nossa situação. Até o meio dia o Samu vai estar com apenas duas ambulâncias de atendimento básico e uma Usa para atender todo o Estado. Caso não haja nenhuma solução, novas paralisações como esta devem voltar a acontecer na próxima semana”, disse.

Os servidores também vão decidir hoje se entram em greve geral.

De acordo com a assessoria de comunicação, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) pretende incluir as gratificações dos servidores entro do próprio salário, mas, ainda aguarda pela aprovação de uma lei para que isso aconteça.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *