Vereadores garantem não votar projeto de reajuste de fome do Rui Palmeira e aguardam reunião com intermediação do Tribunal de Justiça

O Movimento Unificado dos Trabalhadores da Prefeitura Municipal de Maceió conseguiu uma importante vitória nesta terça-feira (14), quando a Câmara de Vereadores se comprometeu em não votar a proposta de reajuste de apenas 3% encaminhada pelo prefeito Rui Palmeira (PSDB) até que seja marcada uma reunião de conciliação, intermediada pelo Tribunal de Justiça. Esta reunião de conciliação deve acontecer na próxima semana.

A reunião que resultou no acordo se deu após os servidores municipais ocuparem o auditório da Associação Comercial, no bairro de Jaraguá, onde as sessões plenárias da Câmara acontecem temporariamente.

Em greve há quase um mês, os servidores municipais pedem reajuste de 15,41%.

A manifestação da categoria teve início com uma passeata que partiu do Clube Fênix Alagoana até a Associação Comercial e contou com cerca de 1.000 pessoas, de acordo com o sindicato. A ocupação durou cerca de duas horas.

Negociação

Por meio de nota, a assessoria de comunicação da Câmara de Vereadores de Maceió informou que se comprometeu com a categoria a não votar a proposta da prefeitura até o resultado da reunião de conciliação com o Tribunal.

“Nos reunimos com o prefeito, mas o gestor foi taxativo em dizer que os cofres públicos só podem conceder o reajuste de 3%. Nos encontramos com os servidores e passamos para eles o que ouvimos. Fomos mais uma vez procurados e aceitamos a proposta de aguardar os demais posicionamos. Mas também dissemos que vai chegar um momento que não poderemos mais postergar a votação”, declarou o presidente da Câmara, Kelmann Vieira (PSDB).

A greve dos servidores começou no dia 17 de julho. O Movimento Unificado exige no reajuste a reposição da inflação de 2014, 2015, 2016 e 2017, com retroativo de janeiro de 2018, mês da data-base.

O Projeto de Lei (PL) encaminhado ao Legislativo pelo prefeito Rui Palmeira (PSDB) oferece 3%, sendo 2% em agosto, com efeito retroativo de junho, e mais 1% em outubro.

* Com informações do G1-Alagoas

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *