Alagoas registra média de 104 assassinatos de jovens em 2013

Comissão de Direitos Humanos da OAB apresenta relatório que aponta mais de 1.600 mortes de jovens de janeiro de 2012 a maio deste ano

 

25/06/2013

 

Durante coletiva realizada na manhã desta terça-feira (25), a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB/AL), apresentou à imprensa números de homicídios praticados contra jovens alagoanos de janeiro a dezembro de 2012 e de janeiro a maio de 2013. Nesses períodos, foram contabilizadas 1.603 mortes de jovens com idades até 24 anos no Estado. A apresentação dos números de homicídio de jovens pela OAB acontece na mesma semana em que completa um ano da implantação do programa Brasil Mais Seguro em Alagoas, que tem como proposta reduzir a violência no Estado e os altos números de homicídios.

Presidente de comissão da OAB apresenta dados sobre violência contra jovens (Foto: David Lucena)

De acordo com os números apresentados pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Daniel Nunes, Alagoas registrou 1.089 mortes violentas somente em 2012, sendo 464 praticados na capital, 622 no interior e 3 em local não informado, uma média de mais de 90 homicídios de jovens por mês. Em 2013, essa média é ainda maior. Somente de janeiro a maio deste ano, foram 524 assassinatos que tiveram jovens com idades até 24 anos como vítimas. Uma média de mais de 104 mortes por mês no Estado.

“O fato principal é que houve um aumento de quase 10% nos homicídios contra jovens em Alagoas”, destacou o advogado, ao ressaltar que os números apresentados pela OAB são diferentes dos mostrados pelo Governo, que estaria omitindo algumas informações. “Nós utilizamos uma metodologia diferente. Além dos relatórios da perícia e do Ciods, também usamos o material que é divulgado na imprensa. Inclusive, vou solicitar que a secretaria informe o motivo de esses dados não terem sido incluídos nos números que eles apresentaram”, falou.

A maioria das vítimas foi alvo de disparos de arma de fogo. Foram 948 em 2012 e 460 até maio de 2013. Mas o relatório também traz uma grande quantidade de crimes praticados com arma branca, espancamento, pauladas e pedradas, além dos corpos encontrados em estado de putrefação.

O relatório detalhado apresentado pela OAB/AL também aponta a faixa etária e o sexo das vítimas de homicídios no Estado. Em 2012, 1.024 homens, 58 mulheres e outras 7 pessoas de sexo não identificado foram assassinados. A maioria deles com idades entre 18 e 24 anos, um total de 833. Com idades entre 12 e 17 anos, foram 246 vítimas; e com idades entre 0 e 11 anos, foram registradas 10 mortes violentas em Alagoas.

A OAB apresentou ainda, durante coletiva nesta terça-feira, os municípios alagoanos e os bairros mais violentos da capital, onde foram registrados os maiores números de mortes de jovens. No topo da lista figura o município de Maceió, seguido de Arapiraca, Rio Largo, Marechal Deodoro e Coruripe. Em relação aos bairros da capital mais violentos, a lista traz o Tabuleiro como o que registra o maior número de mortes violentas de jovens, seguido do Jacintinho, Benedito Bentes, Vergel, Cidade Universitária e Trapiche.

 

Reprodução Gazeta Web.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *