Campanha para anular a Reforma Trabalhista já está nas ruas

cut
Lançada em todo país, durante as manifestações do Grito dos Excluídos, campanha vai colher 1,3 milhão de assinaturas para revogar golpe contra CLT
Escrito por: CUT Brasil, com CUTs dos estados

As manifestações do Grito dos Excluídos, nesta quinta-feira (7) em todo o país, foram o espaço de lançamento nacional da Campanha Pela Anulação da Reforma Trabalhista, que vai coletar 1,3 milhão de assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que propõe a revogação da Reforma Trabalhista de Temer, prevista para entrar em vigor no próximo dia 11 de novembro.

Após o recolhimento das assinaturas, o projeto será entregue à Câmara dos Deputados, com o lançamento de uma nova etapa da campanha, para exigir a votação da proposta. O objetivo do Projeto de Lei de Iniciativa Popular é fazer com que essa medida se some a outras 11 leis revogadas por meio desse instrumento.

A campanha pela anulação da Reforma Trabalhista foi aprovada pelas confederações, federações e sindicatos da CUT, durante o recente Congresso Extraordinário e prevê também a criação de comitês por essas entidades, para coleta de assinatura.

Acesse os materiais da campanha

Clique aqui para acessar os primeiros materiais da campanha, que incluem:

– cartilha com orientações sobre a campanha;

– formulário para coleta de assinaturas;

– banner;

– cartaz.

Os materiais também estão disponíveis no site da CUT e no site da campanha, onde também é possível obter mais informações:

www.cut.org.br

anulareforma.cut.org.br

Próximos passos

Após o Grito dos Excluídos, a CUT promoverá mais uma série de manifestações para divulgar a campanha. No dia de 14 de setembro, a Central ajuda a organizar um dia nacional de lutas ao lado do movimento Brasil Metalúrgico em defesa dos empregos na indústria e das estatais.

No dia 3 de outubro, aniversário da Petrobrás, será a vez de o Rio de Janeiro e das principais capitais do país promoverem manifestações contra a entrega da empresa e de outros patrimônios públicos.

Para a semana de 11 de novembro, dia em que entra em vigor a Reforma Trabalhista, os movimentos sindical e sociais preparam uma manifestação em Brasília. Na ocasião, a Central pretende já ter número suficiente de assinaturas para apresentar o projeto pela revogação do ataque aos direitos da classe trabalhadora.

Além desses pontos, a CUT também estará na campanha em defesa de democracia e do direito de Lula disputar as eleições e apoiará as mobilizações no dia 13 de setembro em Curitiba, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá depor ao juiz federal Sérgio Moro.
Confira imagens do Grito dos Excluídos


Em Belém (PA), após ato ecumênico, manifestação caminha em direção a praça da República. (Foto: CUT-PA)


Em Fortaleza, milhares de pessoas na caminhada que envolve os bairros Colônia e Barra do Ceará. Fotos: Letícia Alves/CUT-CE.


Em Teresina (PI), grande caminhada pelas ruas do centro da capital. (Foto: Socorro Silva / CUT-PI)


Em São Paulo, movimentos de moradia e pastorais engrossaram a manifestação. (Foto: Roberto Parizotti / CUT Brasil)


No Rio de Janeiro, a luta contra a privatização das estatais também entrou na pauta do Grito. (Foto: Duda Quiroga Fernandes / CUT-Rio)


Em João Pessoa (PB), o Grito dos Excluídos reuniu centenas de pessoas. (Foto: CUT-PB)


Em Porto Alegre (RS), o governo Sartori proíbiu a caminhada do Grito dos Excluídos, Ato ficou concentrado na Rótula das Cuias. CUT lançou campanha de coleta de assinaturas pela anulação da reforma trabalhista. (Foto: Ademir José Wiederkehr /CUT-RS)

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *