Conselheiro classifica Defesa Social de Alagoas como uma ‘bagunça’

Falta de efetivo e de estrutura nas delegacias de Maceió marcou sessão do Conseg

 

Jobison Barros

22/07/2013

 

A falta de estrutura em delegacias da capital motivou discussões em mais uma sessão ordinária do Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg), na manhã desta segunda-feira (22), nas dependências do Palácio República dos Palmares, no Centro. Em uma discussão acalorada, o conselheiro Evilásio Feitosa classificou a Secretaria de Estado da Defesa Social (Seds) como uma “bagunça” ao fazer menção ao baixo efetivo policial em meio à grande demanda de inquéritos a serem encaminhados ao Poder Judiciário.

Conselheiro classifica Defesa Social de Alagoas como uma ‘bagunça’ (Foto: Jobison Barros)

A discussão teve início no momento em que o presidente do Conselho, juiz Maurício Brêda, questionou à delegada Luci Mônica, também conselheira e titular do 8º Distrito Policial (8º DP), acerca do horário de funcionamento de delegacias da cidade, visto que fora informado de que algumas distritais estariam fechando suas portas às 14h, quando do término da carga-horária de escrivães.

“Queria saber, realmente, o que vem acontecendo nas delegacias. Por que vários agentes e escrivães saem delas e se dirigem à Central de Flagrantes, para fazer BOs [Boletins de Ocorrência] e TCOs [Termo Circunstanciado de Ocorrência], quando se tem um número volumoso de inquéritos em suas respectivas distritais?”, indagou o magistrado.

Em resposta, a delegada disse não saber se há alguma portaria determinando que os escrivães trabalhem até as 14h, nas delegacias; porém, alegou que o seu efetivo é reduzido para atender toda a região do Benedito Bentes.

“Em muitas situações, a funcionária da limpeza fica na recepção, para receber algum caso. Mas não posso impedir que meus escrivães deixem a delegacia às duas horas da tarde, já que vão argumentar que já têm passado o horário”, relatou a conselheira, citando que, apesar dos “percalços”, o 8º DP ainda ocupa o primeiro lugar no ranking de inquéritos enviados à Justiça, desde maio deste ano.

’Uma verdadeira bagunça’

Após ouvir os relatos da delegada e outras críticas por parte de seus pares, o conselheiro Evilásio Feitosa – que representa a Assembleia Legislativa (ALE) – revoltou-se durante a sessão ao afirmar que a Defesa Social “é uma verdadeira bagunça”, no tocante à “má administração por parte de seus gestores quanto ao quadro caótico da segurança pública”. Segundo ele, há um problema de gestão e desvio de função no poder público estadual.

“Se não tivesse prestes a terminar meu mandato de dois anos, eu renunciaria à função, pois vivemos um caos na segurança. É preciso que tomemos alguma atitude urgente porque presencio – através das falas dos senhores – uma bagunça generalizada na Defesa Social”, pontuou o então conselheiro.

 

Reprodução Gazetaweb.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *