Delegado denuncia mais de 500 inquéritos parados em Marechal

Delegado denuncia mais de 500 inquéritos parados em Marechal

 

Gazetaweb

09/09/2013

 

O delegado Jobson Cabral relatou, em entrevista à Rádio Gazeta AM, na manhã desta segunda-feira (9), a falta de estrutura da Delegacia Distrital de Marechal Deodoro. O delegado assumiu a titularidade da 17ª DRP há quinze dias e disse ter encontrado diversas irregularidades no funcionamento da delegacia. Segundo ele, mais de 500 inquéritos estão parados.

Jobson Cabral concedeu entrevista à Rádio Gazeta (Foto: Clariza Maria)

Cabral informou que o registro de ocorrências estava parado há mais de dois meses e o quadro da delegacia contava apenas com oito policiais. “Tínhamos uma impressora quebrada e o trabalho cartorário estava parado. Os inquéritos não estavam tendo encaminhamento por falta de efetivo”, declarou.

Segundo Jobson Cabral, o número de assaltos e homícidios tem crescido na região. Para o delegado, com a duplicação, muitas pessoas foram morar na região lagunar, o que despertou as ações criminosas. “Esta situação também preocupou a polícia, pois não temos efetivo para atender ao aumento desta demanda. Quando assumi a delegacia informei a situação à corregedoria”, disse.

Segundo o delegado, há dez anos Alagoas contava com treze mil homens, e hoje conta com pouco mais de sete mil policiais militares; no quadro da polícia civil, eram cerca de dois mil, e hoje aproximadamente novecentos homens estão no efetivo. Jobson Cabral cobra a promessa do governador Teotonio Vilela para a melhoria na segurança pública.

“Durante a campanha, o governador disse que iria colocar mil policiais por ano na rua, e até, hoje, não vimos este efetivo. Temos as viaturas, mas não temos policiais para irem às ruas”. De acordo com o delegado, a PM perde, por mês, aproximadamente duzentos militares.

O delegado criticou a falta de planejamento em segurança do governo do Estado. “Nossa polícia é impotente, limitada, devido ao governo que não tem um plano de segurança pública eficaz. O governador tem que dar prioridade, tomar providências, pois a segurança pública está um caos”, afirmou. Para Jobson Cabral, os investimento do governo em viaturas e ampliação dos presídios não dão resultados para a sociedade. “É melhor evitar o crime. Aumentar o efetivo, colocar mais policiais na rua para inibir a criminalidade”, declarou.

Após uma reunião com o poder executivo local e a cúpula da polícia, novas estratégias de segurança foram implantadas. Para inibir as ações criminosas, a 17ª DRP irá implantar um trailer climatizado na entrada da praia do Francês. A Guarda Municipal foi incorporada à delegacia, que também passa a receber apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e da Radiopatrulha. “Com este apoio, temos duas viaturas rodando nos povoados, a delegacia está funcionando 24 horas, realizando boletins de ocorrência”.

 

Reprodução Gazetaweb.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *