Depois da terceirização virá PDV no serviço público?

Por LAUREZ CERQUEIRA

Depois da aprovação do projeto de lei da terceirização poderá vir demissão em massa de concursados de carreira com estabilidade. E não vai demorar.

Já se fala isso abertamente no governo. A ordem é privatizar, e o mais rápido possível.

Parece que os servidores públicos andam alheios a isso e ainda não entenderam. Não devem ter lido o projeto do governo que o presidente da Câmara Rodrigo Maia colocou em pauta para ser votado.

Em seguida Temer certamente vai mandar ao Congresso projeto de lei que cria Programa de Demissão Voluntária (PDV) em todo o serviço público.

Observe que a primeira medida de Temer foi aprovar o congelamento de investimentos públicos por 20 anos. Estados e municípios, endividados, sem condições de investir e sem ajuda do governo federal podem justificar demissões e terceirizações.

O congelamento de investimentos foi pensado para abrir espaço para empresas privadas explorarem a prestação de serviços públicos em todos os setores.

Eles querem que o setor público contrate empresas de prestação de serviços, compre no mercado consultorias de escritórios de advogados, de engenharia, do que quiserem.

Agora imaginem o preço que o erário vai pagar para essas arapucas e a qualidade do serviço que vão prestar.

A terceirização, o fim da previdência pública e a reforma das leis trabalhistas fazem parte do pacote do programa de governo neoliberal do candidato do PSDB, Aécio Neves, derrotado nas eleições de 2014. Como não conseguiram aprovação nas urnas, deram o golpe.

Esse é o programa do golpe. Neoliberalismo é Estado mínimo.

  • Laurez Cerqueira é autor, entre outros trabalhos, de Florestan Fernandes – vida e obra; Florestan Fernandes – um mestre radical; e O Outro Lado do Real
Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *