Deputados não temem auditoria em gabinetes

Minoria ouvida por reportagem é favorável a devassa minuciosa em gabinetes

 

Erik Maia 23 Agosto de 2013

Entre as medidas que foram propostas pelo atual procurador da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas (ALE), uma que deve começar em breve e que poderá causar uma saia justa a alguns parlamentares, é a auditoria, que será realizada inclusive junto aos gabinetes dos deputados.

Deputados estaduais – pelo menos parte deles – são favoráveis ao detalhamenteo de dados. Foto: Sandro Lima

No entanto parece que os parlamentares não temem tal medida, pelo menos esse foi o discurso dos poucos deputados que estiveram na ALE e conversaram com nossa equipe na tarde de ontem.

Quase em num discurso uníssono, os deputados disseram que não há o que esconder e que se a medida é necessária para dar transparência, deve ser feita.

Para o deputado Gilvan Barros (PSDB), cada deputado tem os assessores que precisam para executar os trabalhos no parlamento, e junto às bases; isso não trás nenhuma dificuldade. “Acredito que não haverá nenhum companheiro com dificuldade com essa auditoria”, disse o tucano.Já Jota Cavalcante (PDT) concordou com o colega de plenário e colocou seu gabinete à disposição da Casa para qualquer investigação, mas o deputado lembrou que outra auditoria já havia sido realizada.

“Inclusive tem uma auditoria, que foi feita anteriormente, e está a disposição. Acredito que o presidente [Fernando Toledo, PSDB] tenha uma cópia desta auditoria que foi feita antes”, revelou.

O líder da bancada pedetista, Isnaldo Bulhões, acredita que a auditoria não deva constranger os colegas, mas advertiu que os deputados tem que serem comunicados das decisões da Mesa Diretora.

“A Assembleia, sempre, deve estar no passado, no presente ou no futuro, aberta para qualquer que seja a medida a ser tomada. E sendo ela a mais transparente e a melhor possível é louvável”, acredita Bulhões.Jeferson Morais (DEM) crê que a fiscalização não deverá causar constrangimento, mas salientou que fala apenas por si.“Não sei, não posso falar pelos outros. Para mim, não causa constrangimento algum, agora cada um responde pelos seus atos”, lembrou.O posicionamento de Morais é justificado. Apesar de a reportagem ter mostrado que os parlamentares concordam com a auditoria, eles são apenas quatro dos 27 deputados que compõem o Legislativo Estadual.

 

Reprodução Tribuna Hoje.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *