Prefeitura de Maceió assina reajuste salarial nesta 6ª

Rui Palmeira concedeu aumento de 9% nos vencimentos das categorias do funcionalismo

 

Direções sindicais e o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), oficializam, hoje, às 9h, o reajuste salarial dos servidores municipais, resultado de muito debate em diversas rodadas de negociação. Na prática, a mensagem reajustando os salários em 9%, que será assinada tem sido encarada como uma primeira grande mostra de habilidade política da gestão tucana de Maceió, no terceiro mês de mandato, considerando que o prefeito sai da mesa de negociação com desgaste zero com os servidores e apoio quase unânime das entidades sindicais.

No geral, Rui Palmeira se saiu bem em primeira negociação com entidades sindicais municipais. [Foto: Sandro Lima]

O aumento salarial, que irá contemplar aproximadamente 15 mil servidores, prevê a reposição da inflação, mais ganho real, segundo estimativa do secretário de Administração, Recursos Humanos e Patrimônio, Jaelson Gomes. “Foi uma longa jornada, com alguns picos de tensão, mas no final prevaleceu a serenidade e o reconhecimento do esforço da prefeitura em assegurar o reajuste dos servidores”, defendeu.

O reajuste será aplicado da seguinte forma: 6% retroativo a março, 1,5% em maio e 1,5% em outubro deste ano. Todos os servidores efetivos serão beneficiados com o aumento salarial.

As categorias, que inicialmente pleiteavam reajuste de 15%, aprovaram, por maioria, o índice em assembleia realizada no último dia 12 de março. Além do reajuste salarial, o comando unificado também assegurou a instalação de uma mesa permanente de negociação, para que as categorias apresentem as pautas específicas.

A mesa deve ser instalada em abril desse ano para debater as demandas individuais. Ainda segundo o secretário Jaelson Gomes, além do reajuste salarial, no âmbito das pautas específicas, a Prefeitura de Maceió já reviu a escala de serviço dos guardas municipais, uma das pautas apresentadas.

Apoio

Mesmo querendo, inicialmente, um reajuste um pouco maior, as entidades sindicais deixam o discurso opositor um pouco de lado para defender a “reabertura do canal de negociação”. “Esse reajuste é fruto sobretudo do diálogo. Conseguimos construir com a atual gestão muito bom, por meio do secretário Jaelson Gomes, onde cada ponto foi discutido de forma bastante franca e, sobretudo, com responsabilidade. Acho que chegamos a um denominador comum, evitando um desgaste maior que é sempre muito comum nesse tipo de mesa de negociação”, avaliou Renilda Barreto, presidente do Sindicado dos Enfermeiros do Estado de Alagosa (Sineal).

 

Matéria retirada do site Tribuna Hoje.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *