Prefeitura investe e retoma Educação de Maceió

Secretária Ana Dayse tem três iniciativas que vão mudar a realidade da capital

Da Redação
05 Agosto de 2013

Os números não mentem. Alagoas possui uma das piores posições do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O índice que ranqueia a educação baseado na capacidade de leitura e compreensão de texto, além de averiguar noções de matemática, traz a tona uma dura realidade, enfrentada principalmente pelas crianças de classes sociais menos privilegiadas.

Prioridade da secretária é melhorar o Ideb de Maceió e aproximá-lo da média nacional

Considerando que os números do Ideb são de 2011, essa realidade é impulsionada também pelo baixo desempenho da rede pública municipal de Maceió, que até então, não tinha conseguido emergir da situação caótica a qual se encontrava.

O Ideb médio da capital é 2,8. Muito longe da média nacional estipulada que é 5. Este ano é ano de realização da Prova Brasil, que visa avaliar o grau de aprendizagem e desempenho dos alunos das sérias iniciais e finais – 5º e 9º ano. O que será que o município tem feito para mudar esse quadro?

Aos olhos da sociedade, os passos para o avanço parecem ser lentos, mas na visão da secretária municipal de Educação, Ana Dayse Dorea, falta muito um pouco para Maceió surpreender o Brasil.

“Não podemos mais ficar olhando para os erros dos outros e nos lamentando. Temos um grande desafio pela frente. Estamos sendo incentivados e planejando um futuro diferente para rede pública de Maceió”, afirmou a secretária da Educação, Ana Dayse Dórea.

Compreendendo a Educação de forma sistêmica, a secretária e sua equipe já realizaram feitos nunca antes vistos. Em seis meses de gestão, a Secretaria conta com o financiamento de instituições públicas e privadas que acreditaram no projeto da Educação de Maceió.

Marco

Três iniciativas marcantes vão potencializar a metodologia de ensino e aprendizagem, além de trazer instrumentos pedagógicos para as salas de aulas da rede. São eles, o Projeto Paralapracá (metodologia de aceleração de aprendizagem na educação infantil), do Instituto C&A, os projetos Brincar e Entre na Roda (formação de professores e contação de estórias), da Fundação Volkswagen, e o Projeto Quebra Tabu (educação sexual para o ensino fundamental).

“Estas iniciativas não geraram nenhum ônus para o Município, apenas benefícios. Não compramos nenhum projeto, não pagamos nada. Só quem tem a ganhar é o aluno”, frisou Ana Dayse.

*Com Secom Maceió

 

Reprodução Tribuna Hoje.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *