Protesto termina em tumulto na porta do Hospital Geral do Estado

Servidores impedem atendimento a casos clínicos e direção solicita ação policial

 

Por: BLEINE OLIVEIRA – REPÓRTER
28 de fevereiro de 2013
A revolta dos servidores, com a falta de resposta do governo às suas reivindicações, e dos usuários, que foram impedidos de entrar, resultou num grave tumulto, ontem pela manhã, na porta do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió. Intensificando a mobilização por reajuste salarial e melhores condições de trabalho, os servidores bloquearam a porta de acesso à Área Azul, impedindo o atendimento a pessoas que, segundo avaliação do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev/AL), deveriam ser atendidas nos postos e demais unidades de saúde.

“Aqui é um hospital de urgência e emergência. A atenção básica se faz nos postos. É pra lá que estamos orientando os usuários a seguir”, disse Célio dos Santos, dirigente do Sindprev/AL. Ele afirmou que mais de 200 servidores do HGE cruzaram os braços e, além de reduzir os serviços a 30%, decidiram limitar o atendimento a casos de urgência.

NO LIMITE

A mobilização seguiu pela tarde e levou a direção do Hospital a solicitar ação policial para desobstruir a entrada da Área Azul, destinada aos casos clínicos. O protesto reuniu enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, servidores administrativos, copeiras, padioleiros e outros profissionais de saúde. Todas essas categorias estão juntas, reivindicando concurso público para enfrentar sobrecarga de trabalho, implantação do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) e cumprimento de um acordo feito em 2010 (reposição da inflação desde 2007, que já chegaria ao índice de 38% de reajuste).

Matéria retirada do Jornal On-line Gazeta de Alagoas
Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *