Seca: deputados alagoanos buscam ajuda de Dilma

Parlamentares se reúnem hoje para definir sugestões que amenizem a crise na região

 

Da Assessoria Mais.al

26 de fevereiro de 2013 • 10h44 | atualizado às 10h57

Reunião definirá sugestões que amenizem a crise na região

Preocupado com a estiagem que se iniciou em 2012 e deve se prolongar até meados de 2014, o Deputado Federal João Lyra (PSD) sugeriu que fosse solicitada uma audiência com a Presidenta Dilma Rousseff para tratar do assunto, visando solucionar à curto prazo  os efeitos devastadores que o semiárido brasileiro tem vivido nos últimos meses, quando metade do rebanho alagoano morreu por falta d’água e alimento, além de dizimar a agricultura familiar, tão presente na região.

A seca atinge cerca de 21 milhões de brasileiros que vivem na região, dos quais 600 mil são alagoanos. O prejuízo econômico chega a R$ 50 bilhões, quantia equivalente a quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) regional. Ao todo, são 1133 municípios que pedem socorro, já que de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), não há previsão de chuvas para a região.

Das 37 cidades alagoanas atingidas pela intempérie, metade do rebanho já morreu por falta de ração e água, e a outra que permanece sobrevivendo, é mantida com muito esforço pelos criadores da região, o que consequentemente, abala a economia local, prejudicando irreparavelmente a agricultura familiar, principal meio de sobrevivência de milhares de famílias.

Com previsão de concluir o Canal do Sertão até o fim de 2014, o Governo pretende abastecer todos os municípios da bacia leiteira e do alto sertão de Alagoas, recuperando poços e cisternas que tornam a água salobra própria para o consumo. “É verdade que, nos últimos anos, investimentos foram realizados, mas é inadiável que outras iniciativas, do mesmo porte e significado, integrem o arsenal de ações permanentes do Executivo”, disse João Lyra. “Sem nenhuma ofensa a qualquer governo, o que igualmente se repete é que, passadas as estiagens, os planos, programas e projetos são logo esquecidos e somente resgatados quando outra seca volta a espalhar o pânico na população”, reiterou.

João Lyra acrescenta que o sertanejo sonha com o dia em que conseguirá manter seu rebanho e agricultura familiar sem maiores preocupações com o clima na região. “O Nordeste já perdeu 80% do seu rebanho. A agricultura familiar foi dizimada e nosso povo está pedindo socorro”, ressaltou o deputado. “Quando falta água, falta vida, falta a esperança e sobra descrença, inconformismo e revolta”, concluiu.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *